Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Curiosidades / Destinos / Fotos

500 anos de história: o contraste entre o passado e futuro de Havana

O destino cubano que completou 500 anos apresenta um contraste cultural, arquitetônico e histórico que atrai milhares de turistas todos os anos


HAVANA –
Havana, a capital do arquipélago caribenho Cuba, completou no último sábado (16) seus 500 anos de fundação. A maior cidade do país, fundada em 1519, chamava-se Villa de San Cristóbal de la Habana, em função da colonização espanhola. A história de Cuba é dividida em quatro etapas fundamentais: Pré Colombina (Antes da chegada de Cristóvão Colombo) em 1492; Colonial (Período na qual a ilha foi colônia da Espanha por quase 400 anos – de 1492 a 1898); Neocolonial (quando os EUA começam a intervir com a “política da fruta madura” entre 1902 até 1959); e finalmente a Revolução Cubana, em 1959, que marcou muitas mudanças em todo o país.

Veja a galeria de fotos abaixo

Para entendermos um pouco de Havana, precisamos entender um pouco de sua história. Por muitos séculos, Havana sofreu com diversas guerras e desastres naturais, porém a cidade permaneceu praticamente intacta, obtendo a fama de ser a cidade mais protegida do Novo Mundo. No período neocolonial, a população passou por um regime militar ditatorial, anos depois derrubado com o triunfo da Revolução Cubana, que finalmente instalou o atual sistema político do País, tornando Cuba uma república Socialista.

Havana é a maior cidade do Caribe, com cerca de 2,4 milhões de habitantes e 721,01 km² de território, repleta de história, cultura e tradição. Mundialmente conhecida por ser uma cidade colorida e com um contraste profundo entre o antigo e o moderno, Havana é dividida essencialmente em três partes: Havana Moderna; Havana Velha e Havana Vedada. Todas suas áreas possuem características únicas e atrações turísticas para todos os gostos.

Havana Moderna

Havana Moderna traz um lado renovado de Cuba

Como o nome já diz, Havana Moderna traz um lado renovado de Cuba

Em Havana Moderna, podemos conhecer um lado mais contemporâneo da cidade. O local acompanhou algumas das tendências mundiais e investiu mais glamour e tecnologia. Não é a toa que vemos mais pontos de wi-fi, construções e comércios mais descolados, como barzinhos e restaurantes com decoração refinada. A Avenida Malecón – considerada a Marginal da capital cubana, fica localizada nessa área de Cuba e é um dos pontos turísticos mais visitados da cidade. O Malecón possui 8 km de orla ao longo da costa.

Apesar da praia não ser utilizada para o banho, os turistas podem aproveitar para fazer caminhadas no calçadão ou conhecer o Malecón através de um passeio nos clássicos automotivos – os icônicos carros conversíveis e coloridos. Estes passeios tem duração de aproximadamente 1 hora e custam em torno de 50 CUC (moeda turística de Cuba – equiparada ao dólar). Atualmente, quase 30 mil carros antigos estão disponíveis para os passeios turísticos.

Passeios nos clássicos automotivos – os icônicos carros conversíveis e coloridos, têm duração de aproximadamente 1 hora e custam em torno de 50 CUC (moeda turística de Cuba – equiparada ao dólar)

Merece também destaque a Quinta Avenida de Havana, uma das principais avenidas do município de Playa, no setor exclusivo de Miramar em Havana. A rua é considerada uma das mais bonitas de Cuba e ficou inicialmente conhecida como Avenida das Américas. Lá podemos ver grandes casarões coloniais e uma parte de Havana bem mais luxuosa do que o que estamos acostumado. Nessa rua não é permitida a passagem de ônibus, então fazer o trajeto nos carros conversíveis pode ser a melhor opção.

A Praça da Revolução é um dos cartões-postais mais famosos da Havana e também um dos lugares mais diferentes do destino. A praça sem árvores é rodeada por grandes edifícios e um monumento de 143 metros  – o ponto mais alto de Havana – em formato de estrela de 5 pontas. O Monumento da Revolução possui ainda um mirante que permite observar até 60 km de distância e fica ao lado do memorial de José Martí, um dos grandes heróis cubanos. A Praça da Revolução também é a maior praça de Cuba e abriga os prédios dos ministérios da comunicação e ministério de interior, os dois edifícios famosos por estamparem os rostos de Che Guevara e Camilo Cienfuegos – líderes da revolução cubana, respectivamente.

Havana Velha

Havana Velha é o bairro mais famoso de Havana e foi declarado patrimônio histórico pela Unesco

Havana Velha é o bairro mais famoso de Havana e foi declarado patrimônio histórico pela Unesco

Considerada patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1982, a Havana Velha é o bairro mais tradicional e provavelmente o mais turístico de Havana. O local começou a ser construído no século 16 e muitas de suas construções são mantidas de forma integral até hoje. A melhor forma de conhecer Havana Velha é caminhando pelas suas ruas estreitas e arborizadas. O que não falta no local são atrativos turísticos como igrejas, praças, museus, construções históricas além de bares e restaurantes.

Uma das praças mais famosas é a praça da Catedral, que abriga uma enorme igreja barroca do século XVIII chamada Catedral de la Virgen María de la Concepción Inmaculada de La Habana. Além disso, a praça também é rodeada por diversos conjuntos arquitetônicos bem conservados.

O bar La Floridita é um dos mais tradicionais e conhecidos de Havana. Especializado em Daiquiris, era o bar favorito do escritor Ernest Hemingway

O bar La Floridita é um dos mais tradicionais e conhecidos de Havana. Especializado em Daiquiris, era o bar favorito do escritor Ernest Hemingway

Os bares La Floridita e La Bodeguita del Médio, são os mais famosos bares de Cuba e eram os lugares favoritos do escritor norte-americano Ernest Hemingway, que morou em Cuba por aproximadamente 20 anos. Ambos são mundialmente famosos por seus Mojitos e Daiquiris – drinks populares cubanos – e ficam lotados de turistas todos os dias.

A Praça das Armas, também conhecida como a praça verde – por ser a única de Havana que possui árvores, ganhou este nome por ser o local onde os militares faziam seus exercícios de treinamento. Ao redor desta praça – que é a mais antiga de Havana Velha, ficam importantes construções como o Museu da Cidade, Museu Nacional de História Natural; Museu da Navegação; Museu do Automóvel e o Museu e monumento El Templete – lugar mais importante da Havana por ser o local exato onde foi fundada a cidade em 1519.

Merecem destaque também a icônica rua Calle Obispo – o lugar ideal para fazer compras em Havana Velha; a praça de São Francisco onde se encontra o convento franciscano construido em 1575; e a Praça Velha de Havana, um dos locais mais conservados do centro histórico e que possui diversos atrativos interessantes como um planetário, uma fototeca e uma câmara escura que tem vista 360º pra toda a cidade.

O capitólio cubano foi recentemente restaurado e aberto ao público

O capitólio cubano foi recentemente restaurado e aberto ao público

O ponto mais turístico de Havana Velha, no entanto, é com certeza o Capitólio de Havana – ou Capitolito. A construção inspirada no Capitólio dos Estados Unidos, em Washington, foi construída em 1929 e utilizada como a sede do governo de Cuba até a Revolução Cubana, em 1959. Hoje, o local é utilizado como sede da Academia Cubana de Ciências. No começo de 2018, depois de oito anos de obras para restauração, o Capitólio cubano reabriu as portas para visita pública. O edifício possui uma cúpula de 3,7 metros e 92 metros de altura que também foi recentemente restaurada.

Próximos ao Capitólio, ficam dois lugares bem interessantes. O primeiro é o Gran Teatro de La Habana – Alicia Alonso, inaugurado no século XIX e que atualmente é a sede do Ballet Nacional de Cuba e local das apresentações dos Festivais Internacionais de Ballet de La Habana e de Arte Lírica. O imponente teatro possui uma arquitetura de estilo neobarroco que encanta tanto durante o dia quanto durante a noite, quando fica iluminado.

Apenas algumas ruas atrás do Capitólio, fica uma parte diferente e pouco explorada de Havana, o bairro Chino – O chinatown cubano. O bairro começou a ser construído com a chegada dos imigrantes chineses em Cuba, por volta de 1847. Apesar de um pouco abandonado, o bairro formado por cinco ruas possui construções que remontam a arquitetura chinesa e vale a pena ser visitado.

Havana Vedado

Salvador Gonzáles Escalona, pintor e muralista cubano criador do projeto Callejon de Hamel

Salvador Gonzáles Escalona, pintor e muralista cubano criador do projeto Callejon de Hamel

Vedado é um bairro importante de Havana, pois foi criado como proteção na época da invasão dos comissários em Havana. Antigamente, o bairro possuía uma muralha de 7 portas que se fechavam as 20h da noite e não permitia a entrada ou saída de pessoas do centro de Havana. Localizado próximo a Havana Velha, o bairro possui grandes avenidas e é um bairro mais luxuoso e menos movimentado. É nele onde vivia a alta sociedade de Havana pré triunfo da Revolução, tornando suas construções mais luxuosas e modernas, se comparada a Havana Velha.

O bairro, no entanto, também é um lugar para se observar a cultura cubana. O projeto social e artístico Callejon de Hamel, criado pelo pintor e muralista Salvador Gonzáles Escalona, tem como objetivo enaltecer a cultura afrocubana com manifestações e apresentações artísticas. A ruela onde se abriga o projeto é toda decorada com peças artísticas criadas pela comunidade local e os guias ajudam a contar um parte da história da cultura negra em Cuba e da Santeria – segunda religião mais forte no país.

Roteiros alternativos

É possível fugir dos roteiros tradicionais e imergir em um lado mais histórico e artístico de Havana

É possível fugir dos roteiros tradicionais e imergir em um lado mais histórico e artístico de Havana

Para fugir um pouco dos roteiros tradicionais, os turistas podem optar por conhecer San Francisco de Pabla, lugar onde fica a mansão de Hemingway. O escritor norte-americano viveu no local de 1940 até 1961, que hoje virou um museu em sua homenagem. A casa toda foi conservada com os pertences do americano e as visitas guiadas ajudam a entender melhor a história do escritor e sua relação com a Ilha.

Um local interessante que vem despertando a curiosidade dos turistas é a Fusterlandia, um bairro todo decorado com mosaicos criados pelo artista cubano José Fuster. Inspirado em Guadi, as casas de todo o bairro foram ganhando painéis artísticos feitos em mosaicos e mostra um lado divertido da arte cubana.

GALERIA:

O M&E viaja com apoio da Shift Mobilidade Corporativa e proteção GTA

Receba nossas newsletters