Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Destinos

Setur-DF anuncia novos roteiros, ações e eventos para 2022


Até o final do ano o destino deverá lançar rotas turísticas voltadas aos motociclistas e ao segmento religioso, segundo a Setur-DF

Vanessa Mendonça, secretaria de Turismo do Distrito Federal anunciou que em 2022 haverá o lançamento da Rota sobre Rodas, elaborada para os motociclistas, da rota Caminho da Fé, que une Ceilândia e Taguatinga, até o final, bem como outras que não foram nomeadas.

A expectativa da Setur-DF é dobrar os R$ 27,8 milhões disponibilizado em 2021 para ações de fomento do setor, como o posicionamento do destino na recepção de eventos nacionais e internacionais, o projeto Rotas de Brasília e o investimentos no artesanato candango.

“Estamos otimistas com o movimento programado – considerando nossa taxa de vacinação – para o setor. Quando eu digo turismo, estou falando de 52 atividades econômicas – bares, restaurantes, transporte turístico, táxis, motoristas de aplicativos, hotéis, centros de eventos, bufês, produtores de eventos e festas, toda uma cadeia produtiva. Olhamos para 2022 com um otimismo muito grande”, afirma.

Em 2021 a pasta trabalhou em um reposicionamento de Brasília como um destino reconhecido pelo Ministério do Turismo, pela Embratur e por vários institutos de pesquisa. Foram lançadas as rotas do Rock, a coleção Rotas Brasília que conta com os itinerários Arquitetônico, do Cerrado, Náutico, Cultural, da Paz, Fora dos Eixos e Cívico.

“Nós disponibilizamos tanto o material impresso quanto o Google Earth, em português e em inglês. Com isso, nós nos preparamos de uma forma muito mais atraente para essa experiência da população e de quem chega de fora” declara.

Dentre as ações atrações, foram ressaltadas, como é o caso do Santuário Arquidiocesano Menino Jesus, em Brazlândia, além do turismo gastronômico nas regiões administrativas. “Quando nós olhamos Brasília pelo turismo rural, é outra experiência magnífica. Obtivemos um crescimento de 70% nesse quesito e elaboramos uma rota do enoturismo” destaca.

A capital federal ficou na sétima posição como o destino mais procurado para o verão, como resultado do processo de resgate turístico iniciado pela pasta em 2019. Parte da estratégia colocada em prática foi a implementação de CATs na Praça dos Três Poderes, no Aeroporto e no Setor Hoteleiro em funcionamento.

“Fizemos a reforma nos CATs e da Torre de TV, e os processos de PPPs [parcerias público-privadas] no Mané Garrincha e na Torre de TV Digital. Uma série de obras e ações que devolveu à população essa possibilidade de viver a experiência de Brasília, porque a cidade precisa ser boa primeiro para a população. Se é, vai ser infinitamente melhor para o turista, enfatiza.

O trabalho de promoção levou a pasta ao Maranhao, Pernambuco, Minas Gerais e Rio de Janeiro, apresentando as ações adotadas e as mudança concretizadas. Outro ponto relevante debatido foi o protagonismo dos artesãos.

“Eles [os artesãos] estavam absolutamente esquecidos, não havia uma política pública voltada para o artesanato. Começamos um trabalho de abrir espaços para que eles pudessem comercializar os produtos”, evidencia.

A partir de então, um espaço dedicado a comercialização dos artigos foi fixado em todas as aparições da Secretaria de a turismo em eventos, rendendo R$ 2 milhões em vendas. Por meio da loja Pátio Brasil 30 artesãos são escolhido expõem suas obras. A escolha feita a partir de um edital e o grupo é renovado a cada cinco meses.

“O mais bonito foi ver todas essas pessoas levando Brasília para fora. Essa foi a minha preocupação, multiplicar os locais onde os produtos podem ser facilmente encontrados. Criamos plataformas on-line. Hoje, a Carteira do Artesão é emitida e entregue por nós”, diz.

Segundo Vanessa, o destino está em disputa para sediar eventos nacionais e internacionais e dentre seus diferenciais está a conectividade com todos os estados do país, a proximidade do terminal aéreo com a rede hoteleira, em como a qualificação da mão de obra. “Costumamos falar que, para cada visitante que chega a Brasília para o turismo de eventos e negócios, o tíquete médio mínimo é de R$ 800 por dia. Imagine um evento com 5 mil pessoas; a injeção de recursos é muito importante. Temos uma programação de ações bastante intensa” evidencia.

O destino está com um cronograma de feiras para os primeiros meses de 2022, que incluiu a execução da Feira do Artesanato em Planaltina, além da segunda edição da Feira da Uva e de eventos voltados ao setor médico. Há ainda projetos destinado ao Turismo Cívico Pedagógico e a qualificação dos motoristas de transporte.

Outra novidade foi a pública do edital para a contratação da marina pública. “Estive em São Paulo, no São Paulo Boat Show, e nós acreditamos muito na capacidade de desenvolvimento do turismo náutico, que gera tanto emprego. Uma lancha representa até seis empregos diretos”, conta Vanessa

Receba nossas newsletters
 

Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização do Mercado & Eventos.

Para compartilhar esse conteúdo, utilize uma das formas de compartilhamento dentro da página.