Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Destinos

Setur-DF anuncia novos roteiros, ações e eventos para 2022


Até o final do ano o destino deverá lançar rotas turísticas voltadas aos motociclistas e ao segmento religioso, segundo a Setur-DF

Vanessa Mendonça, secretaria de Turismo do Distrito Federal anunciou que em 2022 haverá o lançamento da Rota sobre Rodas, elaborada para os motociclistas, da rota Caminho da Fé, que une Ceilândia e Taguatinga, até o final, bem como outras que não foram nomeadas.

A expectativa da Setur-DF é dobrar os R$ 27,8 milhões disponibilizado em 2021 para ações de fomento do setor, como o posicionamento do destino na recepção de eventos nacionais e internacionais, o projeto Rotas de Brasília e o investimentos no artesanato candango.

“Estamos otimistas com o movimento programado – considerando nossa taxa de vacinação – para o setor. Quando eu digo turismo, estou falando de 52 atividades econômicas – bares, restaurantes, transporte turístico, táxis, motoristas de aplicativos, hotéis, centros de eventos, bufês, produtores de eventos e festas, toda uma cadeia produtiva. Olhamos para 2022 com um otimismo muito grande”, afirma.

Em 2021 a pasta trabalhou em um reposicionamento de Brasília como um destino reconhecido pelo Ministério do Turismo, pela Embratur e por vários institutos de pesquisa. Foram lançadas as rotas do Rock, a coleção Rotas Brasília que conta com os itinerários Arquitetônico, do Cerrado, Náutico, Cultural, da Paz, Fora dos Eixos e Cívico.

“Nós disponibilizamos tanto o material impresso quanto o Google Earth, em português e em inglês. Com isso, nós nos preparamos de uma forma muito mais atraente para essa experiência da população e de quem chega de fora” declara.

Dentre as ações atrações, foram ressaltadas, como é o caso do Santuário Arquidiocesano Menino Jesus, em Brazlândia, além do turismo gastronômico nas regiões administrativas. “Quando nós olhamos Brasília pelo turismo rural, é outra experiência magnífica. Obtivemos um crescimento de 70% nesse quesito e elaboramos uma rota do enoturismo” destaca.

A capital federal ficou na sétima posição como o destino mais procurado para o verão, como resultado do processo de resgate turístico iniciado pela pasta em 2019. Parte da estratégia colocada em prática foi a implementação de CATs na Praça dos Três Poderes, no Aeroporto e no Setor Hoteleiro em funcionamento.

“Fizemos a reforma nos CATs e da Torre de TV, e os processos de PPPs [parcerias público-privadas] no Mané Garrincha e na Torre de TV Digital. Uma série de obras e ações que devolveu à população essa possibilidade de viver a experiência de Brasília, porque a cidade precisa ser boa primeiro para a população. Se é, vai ser infinitamente melhor para o turista, enfatiza.

O trabalho de promoção levou a pasta ao Maranhao, Pernambuco, Minas Gerais e Rio de Janeiro, apresentando as ações adotadas e as mudança concretizadas. Outro ponto relevante debatido foi o protagonismo dos artesãos.

“Eles [os artesãos] estavam absolutamente esquecidos, não havia uma política pública voltada para o artesanato. Começamos um trabalho de abrir espaços para que eles pudessem comercializar os produtos”, evidencia.

A partir de então, um espaço dedicado a comercialização dos artigos foi fixado em todas as aparições da Secretaria de a turismo em eventos, rendendo R$ 2 milhões em vendas. Por meio da loja Pátio Brasil 30 artesãos são escolhido expõem suas obras. A escolha feita a partir de um edital e o grupo é renovado a cada cinco meses.

“O mais bonito foi ver todas essas pessoas levando Brasília para fora. Essa foi a minha preocupação, multiplicar os locais onde os produtos podem ser facilmente encontrados. Criamos plataformas on-line. Hoje, a Carteira do Artesão é emitida e entregue por nós”, diz.

Segundo Vanessa, o destino está em disputa para sediar eventos nacionais e internacionais e dentre seus diferenciais está a conectividade com todos os estados do país, a proximidade do terminal aéreo com a rede hoteleira, em como a qualificação da mão de obra. “Costumamos falar que, para cada visitante que chega a Brasília para o turismo de eventos e negócios, o tíquete médio mínimo é de R$ 800 por dia. Imagine um evento com 5 mil pessoas; a injeção de recursos é muito importante. Temos uma programação de ações bastante intensa” evidencia.

O destino está com um cronograma de feiras para os primeiros meses de 2022, que incluiu a execução da Feira do Artesanato em Planaltina, além da segunda edição da Feira da Uva e de eventos voltados ao setor médico. Há ainda projetos destinado ao Turismo Cívico Pedagógico e a qualificação dos motoristas de transporte.

Outra novidade foi a pública do edital para a contratação da marina pública. “Estive em São Paulo, no São Paulo Boat Show, e nós acreditamos muito na capacidade de desenvolvimento do turismo náutico, que gera tanto emprego. Uma lancha representa até seis empregos diretos”, conta Vanessa

Receba nossas newsletters
 

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link https://www.mercadoeeventos.com.br ou utilizando uma das formas de compartilhamento dentro da página. Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização.