Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.
De acordo com a legislação atual, informamos que a nossa empresa NÃO utiliza cookies para melhorar experiências a quem nos acessa. Por favor leia nossa Política de privacidade e saiba mais sobre a transparência e Governança Corporativa da nossa organização.
OK

Destinos

Brand USA inicia primeira campanha de retomada das viagens em agosto

Christopher Thompson, presidente do Brand USA

Christopher Thompson, CEO do Brand USA

O Brand USA, órgão que promove o turismo internacional dos Estados Unidos, planeja lançar sua primeira campanha de marketing, desde o início da pandemia, no próximo dia 1º de agosto, com a mensagem de que o país está pronto para receber turistas. O CEO Chris Thompson disse que está mais otimista do que em qualquer outro momento desde o início das restrições e inteiramente “encorajado por algumas conversas” que vem tendo.

Quando começar a campanha, o Brand USA buscará mostrar aos viajantes que os próprios norte-americanos estão viajando. “Conforme os visitantes internacionais nos veem viajando, constatarão que é de fato seguro viajar pelos EUA”, frisou Chris, que ainda disse ser fundamental que as fronteiras terrestres sejam abertas para o México e o Canadá, porque 50% dos 80 milhões de visitantes internacionais anuais são desses dois países.

Já Departamento de Comércio dos Estados Unidos anunciará em breve um investimento de US$ 750 milhões no setor de viagens e turismo, de acordo com a secretária do departamento, Gina Raimondo. Ela também informou que o governo está trabalhando para que o Congresso aprove o “American Jobs Plan”, que considera “muito relevante” para o turismo, pois envolve infraestrutura, empregos, treinamento, parques e água potável.

Raimondo disse ainda que espera um verão razoavelmente animado para viagens de lazer, mas acrescentou que “há um longo caminho a percorrer” até que tudo volte ao normal. De acordo com a secretaria, a ideia é utilizar o investimento milionário de maneira flexível “porque o turismo é local e tem necessidades locais”, com alguns estados talvez gastando em centros de convenções, outros em recreação e ainda outros em marketing.

O turismo de negócios

Antes da pandemia, 60% do faturamento da indústria de viagens não era voltada para o lazer, e sim para o turismo de negócios, reuniões e eventos. O CEO do Brand USA disse que grupos menores já estão voltando, e muitos eventos presenciais importantes já estão acontecendo, incluindo Brand USA Travel Week, programado para Londres em outubro; e IPW da U.S. Travel Association, marcada para Las Vegas em setembro.

Ainda segundo Thompson, o Brand USA viu sua fonte de financiamento entrar em colapso nesta pandemia, proveniente das taxas ESTA (sistema eletrônico de autorização de viagem) pagas por requerentes de vistos de países com isenção de visto, que despencaram por conta da paralisação das viagens internacionais.

Fonte: TravelPulse

Receba nossas newsletters