Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.
De acordo com a legislação atual, informamos que a nossa empresa NÃO utiliza cookies para melhorar experiências a quem nos acessa. Por favor leia nossa Política de privacidade e saiba mais sobre a transparência e Governança Corporativa da nossa organização.
OK

Destinos

“Vamos dobrar o número de turistas norte-americanos no Brasil”, diz CEO da USTOA

DSC_0712

Teddy Dale, presidente da USTOA, e Vinicius Lummertz, presidente da Embratur

NEW YORK, NY – Desde a 00h01 desta quinta-feira, dia 25 de janeiro, o norte-americano já pode solicitar o visto eletrônico para conhecer o Brasil. Esta facilidade deve dobrar o número de turistas provenientes dos EUA, que atualmente é de 570.000, em menos de uma década. Quem projeta este ganho é o próprio presidente e CEO da USTOA (United States Tour Operators Association), Terry Dale, uma espécie de Braztoa dos Estados Unidos que conta com 160 operadores e oito membros associados no Brasil, ente eles o Rio CVB e o Planeta Brasil Incoming.

“Vamos dobrar o número de turistas norte-americanos no Brasil. É um potencial muito grande, não para o próximo ano, mas para os próximos 10 anos com certeza. Faremos o nosso possível. A chegada do visto eletrônico é incrivelmente positivo porque abre a porta do país para todos. Muito mais fácil agora enviar turistas para o Brasil sem sombras de dúvidas. O Brasil hoje flutua muito entre o TOP 10 e o TOP 20, mas isto tende a mudar. A partir de agora, esperamos o Brasil sempre ocupando as primeiras colocações. Hoje, é o México”, disse.

O M&E conversou o Terry Dale porque o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, está numa missão especial em Nova York justamente por causa do visto eletrônico. Acompanhamos Lummertz também nesta quinta-feira (25), dia de visitar o escritório da USTOA. Para ele, o presidente da USTOA está certo de que existem outros 570.000 norte-americanos, que não estavam dispostos a passar por barreiras alfandegárias, que querem visitar o Brasil.

DSC_0699

Reunião aconteceu na sede da USTOA, em NY

“Agora, ele estima que poderemos receber mais 570.000 turistas e US$ 710 milhões. E quem faz este trabalho a partir de agora? Os estados e cidades, que precisam realizar toda uma aproximação e buscar isto nos EUA e Canadá. Este trabalho não pode ser feito apenas pela Embratur”, disse. Questionado pelo M&E sobre quando este número pode dobrar, Lummertz deixou claro que isto depende do esforço de todos. “Por ser uma questão de levar uma informação do visto, mas também por ser uma questão de aproximação das partes para oferecer pacotes. É hora de dialogar com operadores norte-americanos para que os estados possam oferecer e negociar suas ofertas”.

A USTOA em 2017 foi responsável por 17,7 milhões de pernoites em hotéis e 4,8 milhões de assentos de avião. Para estas primeiras semanas de janeiro, as vendas nunca foram tão fortes. Estas foram as palavras do CEO Terry Dale, durante apresentação à delegação brasileira.

 

O M&E viaja com proteção GTA

Receba nossas newsletters