Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Agências e Operadoras / Turismo em Dados

60% das agências esperam aumento de faturamento até o fim do ano, diz pesquisa

Seis em cada dez agências de turismo esperam aumentar o faturamento até o fim do ano, de acordo com a 2ª Pesquisa “Os Desafios das Agências de Turismo”, realizada pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav). Destes, 46% esperam aumentar em até 50% a receita e 14% esperam aumentar em mais de 50% o faturamento. Por outro lado, cerca de 14% acreditam, no entanto, que existirá uma queda.

desafios-turismo-jul-2021

Recorte da pesquisa do Sebrae e Abav

Representando um universo de 192 mil pequenos negócios, entre agências de turismo, operadores, e empresas de transporte rodoviário, aquaviário e de agenciamento marítimo, entre outros, a maioria dos empresários prevê um aumento de faturamento superior a 50%, mantendo também expectativa de novas contratações.

 

Na pandemia, 91% das empresas ligadas ao segmento declaram ter tido perda de faturamento, já quando se observa apenas o universo das agências, essa proporção cai para 56%. De acordo com o presidente do Sebrae, Carlos Melles, os donos das agências de turismo têm um perfil diferenciado, o que pode ter influenciado positivamente no enfrentamento da pandemia.

desafios-turismo-jul-2021

Hospedagem é o produto mais vendido pelas agências de viagens (81%).

“Há mais microempresas do que microempreendedores individuais, a escolaridade e a média de idade são mais altas e eles estão há mais tempo nesse negócio, o que faz com que eles trabalhem mais em busca de alternativas e inovações que aumentem a sobrevivência e o faturamento do negócio”, comenta.

 

Dentro do universo da pesquisa, os resultados do recorte referente às associadas da Abav – cerca de 2,2 mil em todo o Brasil, entre agências de viagens, operadoras de turismo e consolidadoras – revelaram que o emprego de profissionais qualificados e maior preparo dos empresários na gestão dos negócios fazem a diferença na crise. Por falar em emprego, ainda segundo a pesquisa, a expectativa é de aumento de contratações até dezembro.

A pesquisa envolveu amostra composta por 41% de microempresas, 29% de MEI e 21% de pequenas empresas. Entre as agências de turismo, 55% afirmaram trabalhar majoritariamente com emissivo

“Os indicativos desta segunda edição da pesquisa corroboraram os diferenciais identificados na anterior. Tivemos entre nossos associados o maior número de respondentes, o que demonstra engajamento com nossas ações e total entendimento sobre a importância dessa atualização de dados. Eles estão no grupo que revelou mais otimismo e poder de superação dos percalços, e isso os colocará à frente no caminho da retomada, ressalta a presidente da Abav, Magda Nassar.

Ainda de acordo com a pesquisa, hospedagem é o produto mais vendido pelas agências de viagens (81%). Pacotes com aéreo representam 66% das vendas e a venda apenas de bilhetes aéreos nacionais representa 63%. Em média, 36% das agências têm mais de 50% do faturamento com vendas online. Por falar nisso, 9 em cada 10 agências apostam na internet.

Desafios

Apesar das boas perspectivas, os empreendedores ainda enfrentam dificuldades para manter a empresa. Entre os principais desafios estão o aumento das vendas, a organização das finanças, as incertezas em relação a abertura das fronteiras internacionais e saber como será o perfil do consumidor pós-pandemia. Eles acreditam que medidas governamentais como a redução das taxas e impostos em conjunto com a extensão das linhas de crédito são as medidas mais impactantes.

Apesar das boas perspectivas, os empreendedores ainda enfrentam dificuldades para manter a empresa. Entre os principais desafios estão o aumento das vendas, a organização das finanças, as incertezas em relação a abertura das fronteiras

A pesquisa foi realizada entre junho e julho de 2021 com uma amostra de 827 respondentes que compõem o universo de 192 mil pequenos negócios, entre eles: agências de turismo, operadores turísticos, serviços de reservas e outros serviços, transporte rodoviário coletivo de passageiros fretamento, transporte rodoviário coletivo de passageiros, transporte aquaviário e atividade de agenciamento marítimo, das 27 unidades federativas.

Mais dados da pesquisa

  • O segmento é composto por 41% de microempresas, 29% de MEI e 21% de pequenas empresas;
  • 60% das agências de turismo estão em atividade há mais de dez anos;
  • As mulheres são maioria e correspondem a 56% dos empreendedores;
  • 60% dos donos têm mais de 46 anos;
  • A escolaridade é altíssima: 91% têm, no mínimo, o superior incompleto;
  • Os principais produtos turísticos comercializados pelas agências são hospedagens em hotéis e pousadas, pacotes com aéreo, bilhetes internacionais e seguro-viagem;
  • 55% das agências são emissivas.

desafios-turismo-jul-2021

Receba nossas newsletters
 

Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização do Mercado & Eventos.

Para compartilhar esse conteúdo, utilize uma das formas de compartilhamento dentro da página.