Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Agências e Operadoras / Política / Turismo em Dados

“Coronavírus está dizimando a indústria de viagens de negócios”, afirma GBTA

Após resultados alarmantes do estudo, a GBTA pede ao Congresso que adote medidas responsáveis ​​para apoiar a indústria

Com a paralisação total do segmento Mice em quase todo o mundo, a pandemia de coronavírus (Covid-19) tem sido um verdadeiro pesadelo para o setor global de viagens de negócios. Um levantamento realizado pela Associação Global de Viagens de Negócios (GBTA – Global Business Travel Association) apontou que o potencial de perda de receita mensal em 2020 é da ordem de US$ 119,4 bilhões em toda a indústria.

O estudo, que tem como base dados da maioria das associadas da GBTA (96%), ainda mostra que a China, berço da pandemia, é a mais afetada, com perdas mensais de US$ 35,1 bilhões, seguida por Europa (US$ 31 bi) e Estados Unidos (US$ 23 bilhões).

“O coronavírus está causando um efeito devastador no setor global de viagens de negócios, como nunca vimos”, disse Scott Solombrino, COO e diretor executivo da GBTA. “Imploramos para que o Congresso se reúna e aprove um pacote financeiro que ajude a indústria a sobreviver nesses tempos sem precedentes. O setor de viagens de negócios é direta ou indiretamente responsável por sete em cada dez empregos em todo o mundo. É imperativo que o Congresso aprove uma lei responsável por salvar a indústria antes que seu destino seja selado, o mais rápido possível”, afirmou.

A pesquisa ainda aponta que o continente Asiático e a Europa foram os mercados mais prejudicados, enquanto EUA e Canadá sentiram menos os impactos

A pesquisa ainda aponta que o continente Asiático e a Europa foram os mercados mais prejudicados, enquanto EUA e Canadá sentiram menos os impactos

Para entender os efeitos do coronavírus nas viagens de negócios, o GBTA realizou sua quarta pesquisa relâmpago com os membros, coletando dados de 18 a 21 de março de 2020. O GBTA recebeu respostas de mais de 1.155 empresas membros em todo o mundo. Entre os resultados do estudo, estão diversos tópicos, como:

Cancelamentos

As viagens de negócios foram interrompidas em todo o mundo. As empresas estão cancelando ou suspendendo quase todas as viagens de negócios, independentemente do país ou região. Os membros do GBTA relatam que suas empresas cancelaram ou suspenderam “todas” ou “a maioria” viagens de negócios para:

  1. China – 99% cancelado ou suspenso
  2. Hong Kong – 99% cancelado ou suspenso
  3. Taiwan – 98% cancelado ou suspenso
  4. Outros países da Ásia-Pacífico (por exemplo, Japão, Coréia do Sul e Malásia) – 97% cancelados ou suspensos
  5. Europa – 96% cancelado ou suspenso
  6. Oriente Médio / África – 95% cancelado ou suspenso
  7. América Latina – 92% cancelado ou suspenso
  8. Canadá – 89% cancelado ou suspenso
  9. Estados Unidos – 85% cancelado ou suspenso

Além disso, quatro em cada cinco (82%) membros da GBTA relatam que cancelaram ou suspenderam a totalidade ou a maioria das viagens de negócios domésticas. A maioria dos membros da GBTA localizados nos Estados Unidos (84%) e na Europa (81%) relata que sua empresa cancelou ou suspendeu todas ou a maioria das viagens de negócios domésticas.

Além disso, as empresas membros da GBTA adotaram uma série de medidas para ajudar a proteger os funcionários, incluindo instituir políticas de trabalho em casa – home office (85%), fornecer informações atualizadas sobre saúde e segurança aos funcionários (79%) e desenvolver planos de contingência para realizar o trabalho, como aumentar teleconferências e vídeos reunião (70%). Outras ações tomadas incluem a limitação do número de pessoas que trabalham no escritório.

Quase todas as empresas membros cancelaram (95%) e/ou adiaram (92%) reuniões, conferências ou eventos devido ao coronavírus. Menos (31%) relatam reuniões ou eventos foram movidos para outros locais. Quando solicitados a estimar o percentual de viagens de negócios reservadas anteriormente para março de 2020 que foram canceladas, os membros do GBTA estimam que aproximadamente 89% das viagens de negócios foram canceladas. Isso é o dobro da estimativa da pesquisa GBTA de 10 de março de 2020, quando os membros estimaram que 43% das viagens de negócios de março foram canceladas.

Expectativa de melhores e cenários e o impacto econômico

Os membros do GBTA se dividem em dúvidas em termos de quando esperam que as viagens de negócios sejam retomadas. Mais da metade espera que a viagem seja retomada nos próximos três (40%) ou seis (17%) meses. Quatro em cada dez (40%) dizem não ter certeza de quando a viagem será retomada.

O impacto financeiro por conta do coronavírus é grave, com sete em cada dez (73%) empresas membros do GBTA descrevendo o impacto como “significativo”. Um em cada cinco (19%) caracteriza o impacto como “moderado”.

Já os fornecedores dos membros da GBTA sentem o impacto financeiro com mais força, com nove em cada dez (94%) descrevendo o impacto financeiro do coronavírus como “significativo” para a receita de sua empresa.

Políticas de cancelamento

As empresas membros do GBTA continuam a alterar as políticas de viagens devido ao coronavírus. Sete em cada dez (70%) relatam que sua empresa instituiu novas políticas relacionadas à aprovação de viagens – um aumento de 15% desde a pesquisa de coronavírus da GBTA.

Além disso, as empresas continuam a modificar as políticas de segurança e proteção de viagens em resposta ao coronavírus, com sete em cada dez (70%) relatando que sua empresa modificou as políticas de segurança dos viajantes – um aumento de 8% em relação à pesquisa anterior.

Receba nossas newsletters