Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Cruzeiros

Temporada de cruzeiros no Brasil é suspensa até 21 de janeiro

msc seaside cruzeiro felipe brasil

Clia lamentou que companhias tenham sido levadas a tomar esta decisão

A Clia Brasil (Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros) acaba de anunciar a suspensão voluntária imediata das operações de MSC e Costa Cruzeiros no Brasil até 21 de janeiro de 2022. A decisão está baseada nas incertezas de interpretação e aplicação dos protocolos operacionais previamente aprovados.

A Clia informa que a suspensão tem efeito imediato para novas partidas e nenhum hóspede será embarcado até o dia 21 de janeiro. Os cruzeiros atuais, por sua vez, vão finalizar os seus itinerários conforme planejado.

Durante esta pausa, a associação estará trabalhando, em nome das companhias de cruzeiros que operam no país – MSC Cruzeiros e Costa Cruzeiros – para buscar alinhamento com as autoridades do governo federal, Anvisa, estados e municípios nos destinos operados em relação às interpretações e aplicações dos protocolos operacionais de saúde e segurança que haviam sido aprovados no inicio da atual temporada, no mês de novembro.

A suspensão temporária e voluntária ocorre com efeito imediato para novas partidas e nenhum hóspede será embarcado até o dia 21 de janeiro. Os cruzeiros atuais vão finalizar os seus itinerários conforme planejado, informa a Clia.

Por conta disso, a Clia Brasil iniciou conversações urgentes com instituições como os Ministérios da Saúde, Turismo, Infraestrutura, Casa Civil, Anvisa e autoridades locais de estados e municípios onde os navios operam para rediscutir as questões em relação a aplicação das normas e o novo cenário.

Marco Ferraz, presidente da Clia Brasil

Marco Ferraz, presidente da Clia Brasil

“Nas últimas semanas, as duas companhias de cruzeiros afetadas experimentaram uma série de situações que impactaram diretamente as operações nos navios, tornando a continuidade dos cruzeiros neste momento impraticável”, revela a Clia. “Além disso, a incerteza operacional causou inconvenientes significativos para os hóspedes que contavam com suas férias no mar com rígidos protocolos de segurança”, completou.

“A Clia Brasil lamenta que as companhias tenham sido levadas a tomar essa decisão no Brasil, dado que os protocolos de saúde e segurança dos navios continuam mostrando a sua eficiência, destacando-se como um exemplo a ser seguido em todo o mundo

A Clia Brasil lamentou que as companhias tenham sido levadas a tomar essa decisão no Brasil, dada a eficiência dos protocolos de saúde e segurança dos navios. “No entanto, é importante que haja convergência entre os protocolos dos navios e os acordos feitos com as autoridades. Esperamos esclarecer esses acordos para garantir um plano uniforme entre as empresas e as autoridades em todos os níveis”, finalizou a Anvisa.

Receba nossas newsletters
 

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link https://www.mercadoeeventos.com.br ou utilizando uma das formas de compartilhamento dentro da página. Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização.