Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Cruzeiros

Katerre promove expedição imersiva de barco pelo Rio Negro na Amazônia

Expedição exclusiva visita terras indígenas durante nove dias em navegação pela Amazônia

Expedição exclusiva visita terras indígenas durante nove dias em navegação pela Amazônia

No último sábado (1°), o barco Jacaré Açu, da operadora Katerre, iniciou sua viagem de nove dias pelo Rio Negro. O roteiro começou em São Gabriel da Cachoeira, às 2h30 de voo de Manaus, e terminará em Novo Airão, a 200 km da capital. Entre as duas cidades, os 17 viajantes a bordo seguirão uma programação intensa para viver uma experiência autêntica de turismo indígena na Amazônia.

A expedição Serras Guerreiras de Tapuruquara, que leva o nome da região percorrida, oferece imersão total. Três comunidades são visitadas ao longo da viagem enquanto os turistas percorrem trilhas na mata, participam de festas e rituais, aprendem sobre o cultivo na floresta e a confecção de utensílios de fibra e cerâmica – e ouvem as histórias e mitos que explicam os significados de cada processo.

“Navegamos há quase 20 anos pelo Rio Negro, proporcionando uma exploração real da região. Mas faltava agregar algo voltado para entender, explicar, interagir, vivenciar o modo de vida dos povos originários, e as Serras Guerreiras representam isso”, explicou Ruy Carlos Tone, dono da Katerre.

Todas as atrações foram desenvolvidas pelas próprias comunidades, organizadas em duas associações: a FOIRN (Federação das Organizações Indígenas do rio Negro) e ACIR (Associação das Comunidades Indígenas e Ribeirinhas). O desenvolvimento do turismo local foi iniciado em 2016, quando essas organizações ganharam a parceria do ISA (Instituto Socioambiental) e da ONG Garupa.

De lá até dezembro de 2019, 13 expedições experimentais foram realizadas, com a participação de 118 viajantes e o objetivo de capacitar os moradores e desenvolver a estrutura necessária para receber turistas. Nesse tempo, o projeto alcançou resultados importantes: gerou renda para cerca de 100 famílias, direta e indiretamente, e ganhou Menção Honrosa no Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, na categoria Parceiros do Turismo.

“A nossa intenção, desde o começo, era que em 2020 a ACIR e a FOIRN pudessem assumir a operação local das viagens, que até então era feita com o auxílio da Garupa. Depois de três anos de muito trabalho, conseguimos iniciar este ano com um grupo realizando a viagem dessa forma, e conduzido pelo primeiro parceiro comercial do projeto, a Katerre”, afirmou Arnaldo Franken, presidente da Garupa. “Esse é um grande marco para o turismo do Médio Rio Negro, e uma ótima oportunidade para outras operadores que se interessarem pelo projeto” completou Arnaldo.

A ONG, com sede em São Paulo, é mantida pela GTA Seguros e pelas as empresas AD Turismo, Casa do Agente, Diversa Turismo e Globalis, todas do Grupo Arbo (nenhuma delas comercializa o roteiro). Para as operadoras interessadas nessa comercialização, é necessário entrar em contato atraves do email [email protected]

Receba nossas newsletters