Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.
De acordo com a legislação atual, informamos que a nossa empresa NÃO utiliza cookies para melhorar experiências a quem nos acessa. Por favor leia nossa Política de privacidade e saiba mais sobre a transparência e Governança Corporativa da nossa organização.
OK

Feiras e Eventos / Hotelaria

Para Érica Drumond, hotelaria vive melhor momento para inovações

Érica Drumond, vice-presidente da ABIH Nacional

Érica Drumond, vice-presidente da ABIH Nacional

Para a vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Érica Drumond, a hotelaria vive um momento chave de sua história. A executiva destacou, em sua apresentação na BNT Mercosul, que o setor precisa passar por uma série de inovações e se reinventar para seguir competitiva e oferecendo experiências que atraiam os hóspedes.

Essas inovações, segundo ela, passam sim por tecnologia, mas precisam ser acompanhadas pelo arcabouço regulatório brasileiro e pelo ambiente de negócios. Ela exemplificou que não adianta um hotel ou uma rede investir milhões em um sistema personalizado de check in remoto ou via aplicativo, se, por lei, ele ainda é obrigado a assinar a ficha FNRH.

“Fazemos a modernização do back, mas não conseguimos entregar essa experiência ao hóspede”, disse. “Inovação abrange muito mais do que tecnologia. Passa pelas normas e legislação em todas as áreas. Quando dizemos que o Brasil é um país burocrático é porque isso engessa o empresário”, complementou.

Ainda falando de legislação, Drumond citou leis de relações com o consumidor e deu atenção especial à que rege os direitos autorais. Segundo ela, os aplicativos de streaming já fazem este pagamento, gerando uma bitributação quando essa dívida recai também sobre a hotelaria. “Há hotéis com dívidas de até R$ 2 milhões por conta de direitos autorais”, revelou.

PROMOÇÃO

Outro ponto destacado pela dirigente durante a sua fala é a promoção do país. Para Erica Drumond, até por conta de questões orçamentárias, a Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) deveria levar mais o Turismo ao exterior. Não apenas com o objetivo de atrair turistas, mas também investidores. “Os hotéis precisam pensar grande para competirmos com o Caribe. Precisamos também atrair investidores”, disse.

MERCADO INTERNO

O aumento das viagens domésticas também foi abordado por ela, que avaliou como muito positivo para a hotelaria. “Sempre tivemos o sonho de que o brasileiro viajasse mais pelo País, podendo ampliar o ticket médio. Precisamos, como empresários, assumir a responsabilidade por essa promoção interna”, falou.

 

Receba nossas newsletters