Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Mercado e Seguros

Quando o “imprevisto” vira “imprudência”

Nós sempre utilizamos esse espaço para lembrar e defender a importância do seguro viagem. São muitos os casos em que contar com o apoio de uma empresa capacitada pode fazer toda a diferença na hora em que um imprevisto acontece. E é nesse ponto, exatamente, que quero fazer uma reflexão.

O imprevisto é algo que pode acontecer, mas a chance é relativamente pequena. Torcer o pé enquanto caminha por um museu, ter a mala extraviada no aeroporto, perder os documentos durante uma viagem… são alguns exemplos (reais) de coisas que ninguém deseja, mas acontecem.

Porém, muitas coisas são previsíveis. Não dá para achar que um passeio numa mina abandonada, por exemplo, é algo livre de riscos. As pessoas podem se perder, se machucarem devido a escuridão e, talvez, até ficarem presas após um desabamento.

Recentemente, um jovem brasileiro morreu após ser atacado por um tubarão em Massachusetts, nos EUA. Ele foi a primeira vítima fatal por esse tipo de acidente, em 80 anos, naquela região. Até aqui, tudo nos leva a pensar que foi um “imprevisto”.

Entretanto, no local existe uma placa que pede aos banhistas para serem “inteligentes em relação a tubarões”. Tudo isso porque, recentemente, esses animais têm sido vistos circulando pelo balneário, que fica a cerca de 150 km de Boston.

Agora, faço a pergunta: foi um “imprevisto” ou uma “imprudência”?

Certamente, essa tragédia poderia ter sido evitada. Na sua ingenuidade, ao não dar atenção a placa de advertência, se colocou em risco desnecessariamente. Infelizmente, essa negligência custou-lhe a vida. Um pouco mais de cuidado e provavelmente nada disso teria acontecido.

Agora a família do rapaz está fazendo uma vaquinha pela internet para bancar o traslado (em torno de R$ 100 mil) do corpo de volta para o Brasil. Uma iniciativa que, infelizmente, tem se tornado recorrente, já que os valores são sempre elevados nesse tipo de situação.

Antes de encerrar, faço um apelo a todos que me acompanham neste espaço: evitem riscos desnecessários. Não sejam negligentes com os alertas. A sua segurança não tem preço…
Com ou sem seguro viagem!