Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.
De acordo com a legislação atual, informamos que a nossa empresa NÃO utiliza cookies para melhorar experiências a quem nos acessa. Por favor leia nossa Política de privacidade e saiba mais sobre a transparência e Governança Corporativa da nossa organização.
OK

Agências e Operadoras / Aviação / Cruzeiros / Política

Movimento Supera Turismo reúne líderes do Turismo em preparação para retomada

unnamed

Webinar reuniu membros do conselho de entidades signatárias

O 1º aniversário do Movimento Supera Turismo Brasil foi celebrado na última terça-feira (15), em webinar que reuniu membros do conselho de entidades signatárias, engajados na causa preconizada pelo Supera. Participaram Eduardo Sanovicz, presidente da Abear; Marco Ferraz, presidente da Clia; Orlando Souza, presidente do Fohb; Magda Nassar, presidente da Abav Nacional; Roberto Nedelciu, presidente da Braztoa; e Gervasio Tanabe, presidente executivo da Abracorp.

Eduardo Sanovicz resumiu o rol de providências e superações da indústria representada pela Abear. E lamenta que “o último desafio foi aquele que não vencemos. “Pedimos, sem sucesso, a concessão de linhas de crédito pelo ministério da Economia”, disse Sanovicz, que lembra que a atitude destoa daquelas tomadas por governos do mundo inteiro.

Marcos Ferraz abordou a paralisação dos cruzeiros marítimos desde março de 200; desafios logísticos para estacionar frota de navios associada à Clia; e mobilização de especialistas, médicos e cientistas para criação dos protocolos biossanitários para navios de cruzeiro. “Com os protocolos, entramos em ritmo de retomada. Os Estados Unidos voltam a operar cruzeiros no dia 26 de junho. Cerca de 30% da nossa frota já se movimenta”, declarou.

“Com os protocolos, entramos em ritmo de retomada. Os Estados Unidos voltam a operar cruzeiros no dia 26 de junho. Cerca de 30% da nossa frota já se movimenta”, declarou Marco Ferraz

Orlando Souza, por sua vez, fez rápida digressão a partir da segunda quinzena de março de 2020, quando a hotelaria nacional exibiu taxa de ocupação zero. “Com taxa de ocupação zero, o que gerou de positivo foi a percepção, por todas as redes hoteleiras, de que ali não havia mais concorrentes. Era preciso recuperar em conjunto. Ao mesmo tempo, verificou-se o espírito de união entre as entidades representativas do setor”.

“Acho que já não estamos mais no momento de falar em desafios superados. Quando eu olho para trás, noto o volume gigantesco de trabalho desde o inicio da pandemia (…). Temos de aprender como lidar com o futuro, como os EUA já estão fazendo. Mas minha grande dúvida é o que nos aprendemos com essa pandemia”, comentou Magda, sobre o poder de fogo da cadeia do agenciamento de viagens.

“Temos feito contatos no mundo todo, para acompanhar a dinâmica de novos produtos turístico para a retomada pós-pandemia. Acredito muito na superação e no futuro do Brasil, enquanto destino turístico”, disse o presidente da Braztoa.

Já para Roberto Nedelciu, o caráter transversal do turismo, do ponto de vista dos operadores. Ele contou os esforços que a Braztoa realizou para manter os associados informados. “Temos feito contatos no mundo todo, para acompanhar a dinâmica de novos produtos turístico para a retomada pós-pandemia. Acredito muito na superação e no futuro do Brasil, enquanto destino turístico”, destacou.

Gervasio Tanabe, por fim, afirmou que “todos nós e as entidades que representamos somamos esforços pela superação. Enfrentamos o problema do custo do capital, para a sobrevivência das associadas Abracorp; mas não adiante sobreviermos se isso não ocorrer, também, com os nossos fornecedores. Tivemos um profundo aprendizado. O fato é que a retomada já está acontecendo. E, certamente, entraremos, em breve, numa onda positiva”.

O diretor de Redação do M&E, Anderson Masetto, perguntou ao Marco Ferraz sobre um possível novo cancelamento da temporada de cruzeiros por parte da Anvisa. ”No ano passado, nossos protocolos foram muito bem recebidos pela Anvisa. O fato é que todas as nossas embarcações foram devidamente redimensionadas – dos restaurantes aos cassinos, passando pelos demais ambientes do navio”, destacou Marco Ferraz, que não escondeu seu otimismo em relação à retomada das operações dos cruzeiros marítimos, com estatísticas favoráveis quanto ao número de vacinados até novembro.

Receba nossas newsletters