Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Aviação / Destinos / Turismo em Dados

Estudo revela os impactos do fechamento do aeroporto Salgado Filho para o Rio Grande do Sul

Porto Alegre Airport 14 Estudo revela os impactos do fechamento do aeroporto Salgado Filho para o Rio Grande do Sul

Entre 3 de maio e 30 de novembro de 2024, estavam programados 18,5 mil voos para o Salgado Filho, com uma capacidade de quase 3 milhões de assentos (Divulgação/Fraport)

Não é novidade que o Rio Grande do Sul ainda contabiliza os prejuízos da maior tragédia climática de sua história. E um dos pontos mais graves para a recuperação do Turismo é a situação do Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, o décimo mais movimentado do país, que segue sem qualquer estimativa para a retomada das atividades. As inundações interromperam pousos e decolagens no principal ponto de entrada e saída aérea do estado. O aeroporto só deve ser reaberto em dezembro.

De acordo com dados da ForwardKeys, empresa de inteligência de viagens, para o período de 3 de maio a 30 de novembro de 2024 (com base na previsão de reabertura do aeroporto em dezembro), estavam programados 18,5 mil voos, com uma capacidade de quase 3 milhões de assentos. Atualmente, os aeroportos do Rio Grande do Sul, Florianópolis e Jaguaruna juntos conseguiram absorver apenas 14% da capacidade semanal do terminal.

Ainda segundo dados de capacidade de assentos programados da ForwardKeys, entre janeiro e abril deste ano, o Rio Grande do Sul teve conexões com sete países (Brasil, Argentina, Portugal, Panamá, Chile, Uruguai e Peru), operou 657 voos semanais por sete companhias aéreas e teve mais de 1,7 milhão de assentos programados. Para efeito de comparação, com base em junho deste ano, estão previstos cerca de 120 voos semanais, uma redução de mais de 600 voos em comparação com 2023.

Picture1 Estudo revela os impactos do fechamento do aeroporto Salgado Filho para o Rio Grande do Sul

Realocação da Malha Aérea para Aeroportos Regionais (Divulgação/ForwardKeys)

Além disso, o número de assentos previstos para junho caiu de 444 mil em 2023 para pouco mais de 70 mil, queda de 84% em relação ao mesmo período do ano anterior. Essas rotas estão sendo operadas por quatro companhias aéreas e são exclusivamente domésticas. Além disso, o fechamento do aeroporto impactou as rotas de voo, levando muitas companhias aéreas a realocarem estrategicamente parte de sua capacidade de assentos para diversos aeroportos regionais da região sul.

No total, segundo dados de viagens aéreas da ForwardKeys, aproximadamente 73 mil assentos foram realocados para mitigar a perda de cerca de 500 mil de assentos, representando cerca de 14% da capacidade perdida. E apesar de toda essa situação desafiadora, houve uma tendência perceptível na forma como os viajantes estão lidando com suas reservas. Em vez de cancelarem suas viagens, a grande maioria está optando por remarcar seus bilhetes.

As companhias irão operar 25,6 mil assentos chegando ao aeroporto de Canoas entre 20 de maio e 30 de junho. Florianópolis tem o maior aumento no volume de assentos, com 33,7 mil novos assentos (+13%), seguido por Caxias do Sul, com quase 8 mil assentos adicionais (+32%), Passo Fundo, com 4 mil assentos novos adicionais (+24%), e Jaguaruna, com quase 2 mil assentos adicionais (+20%) – destacando sua crescente importância como rota alternativa.

Picture2 Estudo revela os impactos do fechamento do aeroporto Salgado Filho para o Rio Grande do Sul

Pesquisas dos voos por aeroporto (Divulgação/ForwardKeys)

Em relação a variação na procura por passagens aéreas para aeroportos alternativos, de acordo com a ForwardKeys, na semana iniciada em 6 de maio, as buscas por voos domésticos para Porto Alegre caíram 52%. No entanto, as buscas por voos para Caxias do Sul aumentaram 31% durante a mesma semana e continuaram subindo 20% na semana seguinte. Para Florianópolis, o aeroporto internacional mais próximo, houve um aumento de 2% na semana iniciada em 13 de maio e mais 3% na semana seguinte.

Em relação aos aeroportos menores, o interesse em viagens também aumentou. Por exemplo, para Jaguaruna, as buscas aumentaram 49% na semana iniciada em 6 de maio, em comparação com a semana anterior. Para Pelotas, houve um aumento de 39% e para Passo Fundo, um aumento de 26%.

Segundo Olivier Ponti, diretor de Inteligência e Marketing da ForwardKeys, “o fechamento do aeroporto de Porto Alegre redesenhou significativamente a dinâmica de viagens no Sul do Brasil”

Segundo Olivier Ponti, diretor de Inteligência e Marketing da ForwardKeys, “o fechamento do aeroporto de Porto Alegre redesenhou significativamente a dinâmica de viagens no Sul do Brasil. Apesar dos óbvios transtornos iniciais, há sinais precoces de resiliência no setor de turismo do Rio Grande do Sul, com um aumento do interesse em alternativas regionais, ajustes estratégicos na capacidade de assentos pelas companhias aéreas e flexibilidade dos viajantes na gestão de suas reservas”, disse.

Impactos no Turismo Nacional

O Aeroporto Salgado Filho é uma importante porta de entrada para estrangeiros no país. No período de 3 de maio a 30 de novembro de 2023, ele teve o quarto maior volume de conectividade aérea no Brasil, com uma média de 35 voos internacionais chegando por semana e 5 mil assentos disponíveis. De acordo com dados da ForwardKeys, isso representa mais de 2% de todos os viajantes estrangeiros que chegaram ao Brasil.

Os mercados emissores estrangeiros mais importantes para o Rio Grande do Sul (de 3 de maio a 30 de novembro de 2023) foram os Estados Unidos e o Uruguai, cada um representando 20% do total de turistas internacionais, seguidos pelo Chile, com uma participação de 11%, Argentina com 6% e Alemanha, com 4%. E o Rio Grande do Sul, além de ser um dos principais destinos do Brasil, também é um grande emissor de turismo doméstico.

De 3 de maio a 30 de novembro de 2023, os gaúchos fizeram mais de 828 mil viagens dentro do Brasil, representando 5% do volume nacional

De 3 de maio a 30 de novembro de 2023, os gaúchos fizeram mais de 828 mil viagens dentro do Brasil, representando 5% do volume nacional. Os principais destinos foram São Paulo, com 48% das viagens, destacando a forte conexão comercial e cultural entre os dois estados; Rio de Janeiro, com 14%, refletindo o apelo turístico da costa carioca e suas atrações; Paraná, com 7%, destacando a proximidade geográfica e as relações econômicas; e Bahia, com 5%.

Durante o fechamento do Aeroporto Salgado Filho, haverá uma redução significativa nas viagens originárias do Rio Grande do Sul, impactando fortemente o turismo doméstico no país. Essa diminuição no movimento de passageiros afetará não apenas a conectividade e a economia local, mas também terá repercussões significativas nos destinos mais populares entre os gaúchos.

Receba nossas newsletters
 

Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização do Mercado & Eventos.

Para compartilhar esse conteúdo, utilize uma das formas de compartilhamento dentro da página.