Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Aviação / Vídeos

ITA voltará a voar e ainda será a maior companhia aérea do Brasil, diz Sidnei Piva

Sidnei Piva, presidente do Grupo Itapemirim

Sidnei Piva, presidente do Grupo Itapemirim, deu entrevista ao programa ‘Domingo Espetacular’, neste domingo (26)

O presidente do Grupo Itapemirim, Sidnei Piva, em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini, da Record TV, afirmou que a ITA Transportes Aéreos, que suspendeu suas operações no último dia 17, vai honrar todos os compromissos, retomar a confiança do passageiro e quer voltar a voar num prazo máximo de 60 dias. O empresário ainda afirmou que, junto da ITA, o Grupo Itapemirim vai ser a maior empresa de mobilidade do Brasil.

Veja o vídeo completo na íntegra abaixo

“Peguei uma empresa quebrada e transformei numa grande companhia”, disse Sidnei Piva, ao analisar o momento em que o Grupo Itapemirim passava, com dívidas de mais de R$ 2 bilhões e em recuperação judicial, no momento em que assumiu. “E digo que vai ser a maior empresa de mobilidade do Brasil. (Com relação a ITA), ainda seremos a maior companhia aérea do país, com planos de abrir IPO em 2025”, completou Piva.

“A ITA vai voltar a voar em no máximo 60 dias. Nesta retomada, estaremos já a partir de janeiro investindo no atendimento pessoal de aeroportos, na contratação e na prestação de serviços realizada 100% pela ITA”

O presidente do Grupo Itapemirim se vangloriou ainda de ter criado uma companhia aérea durante a pandemia. “Foi um feito mundial, fizemos um trabalho excepcional”, disse Piva, que comentou sobre a retomada das operações. “A ITA vai voltar a voar em no máximo 60 dias. Nesta retomada, estaremos já a partir de janeiro investindo no atendimento pessoal de aeroportos, na contratação e na prestação de serviços realizada 100% pela ITA”.

Piva nega que ITA esteja quebrada e apura responsabilidades

Piva negou ao jornalista Roberto Cabrini que a companhia está quebrada. “Tanto é que a ITA está isenta do processo de recuperação judicial do Grupo Itapemirim. É uma companhia totalmente livre, sem endividamento algum”, disse o presidente, que mesmo assim assume a culpa pela paralisação das operações. “Eu tenho que assumir a culpa, eu vou ressarcir os passageiros, eu vou atender, é isso que estamos fazendo”, destacou.

“Eu tenho que assumir a culpa, eu vou ressarcir os passageiros, eu vou atender, é isso que estamos fazendo”

No entanto, Piva afirma que a paralisação das operações não é de responsabilidade total da ITA. “Não houve acordo com a empresa de terceirização e logo pararam de trabalhar no aeroporto. E por respeito ao cliente, neste caso a Orbital reconheceu e voltou a fazer o atendimento aos clientes”, disse o presidente, que ainda destacou que foi pego de surpresa. “Fomos pegos de surpresa, mas tomamos uma medida acertada de parar os voos pela segurança da tripulação e clientes”, frisou Piva.

Piva negou que a companhia está quebrada. “Tanto é que a ITA está isenta do processo de recuperação judicial do Grupo Itapemirim. É uma companhia totalmente livre, sem endividamento algum”

Ele afirmou que ainda é cedo para apurar a responsabilidade, de fato, da paralisação das operações, mas diz que está fazendo os relatórios exigidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “A minha responsabilidade é tratar o cliente com o maior respeito possível”, disse Piva, que teve mais de 45 mil passageiros afetados. Ele ainda negou que tenha lesado os passageiros porque estava devolvendo o dinheiro.

Em nota enviada à Record TV, a empresa Orbital informou que em nenhum momento deixou de prestar atendimento mesmo com pagamentos em atraso desde setembro, e que não tem qualquer relação com a paralisação das operações da ITA.

Como recuperar a confiança do passageiro?

Caso realmente volte a voar, o que depende diretamente da Anac, como recuperar a confiança do passageiro?  “Eu acredito que o brasileiro volta a voar de ITA com naturalidade”, disse Piva. “A companhia vai devolver a tranquilidade, o dinheiro e o respeito ao cliente. Estou com a consciência tranquila. Estão tentando destruir a companhia por outros meios, não por competência, porque por competência somos melhores”, completou o presidente.

Sem vantagens para começar a voar

À Roberto Cabrini, Sidnei Piva afirmou que nunca teve qualquer facilidade para montar a companhia aérea, atendendo todas as resoluções, documentos e checks necessários para uma companhia aérea de grande porte voar. “Sem apoio político e sem privilégios no sentido do empreendedorismo”, disse o presidente do Grupo Itapemirim, que confirmou ainda que o dinheiro dos credores, apesar dos problemas, segue assegurado.

Comitê de crise

Com a paralisação das operações, a ITA tomou medidas de emergência, como um comitê de crise, com a participação da Anac e de outras companhias aéreas, que disponibilizaram seus assentos para a reacomodação dos passageiros. “Além disso, ainda disponibilizamos os ônibus da Viação Itapemirim para quem optasse pelo serviço”, disse Piva. “A ITA é altamente capacitada, temos totais condições de atender”, completou Piva. Segundo ele, mais de 25 mil bilhetes já tiveram a devolução total do dinheiro, cerca de R$ 8 milhões.

VÍDEO:

Receba nossas newsletters
 

Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização do Mercado & Eventos.

Para compartilhar esse conteúdo, utilize uma das formas de compartilhamento dentro da página.