Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Aviação

Royal Air Maroc é a primeira companhia aérea da África a entrar na oneworld

royal-air-maroc-787-8-fltramlrw

A Royal Air Maroc deve completar seu ingresso na oneworld em meados de 2020

A Royal Air Maroc ingressará na oneworld. Sua eleição foi anunciada em reunião anual, em Nova York. dos CEOs das 13 atuais companhias aéreas membros e apenas algumas semanas antes da aliança celebrar o 20º aniversário do seu lançamento. A Royal Air Maroc deve completar seu ingresso na oneworld em meados de 2020. tornando-se a primeira da África na aliança, bem como a sua subsidiária regional, a Royal Air Maroc Express.

“A Royal Air Maroc está animada e honrada por ter sido convidada a se tornar membro da oneworld na África. Esperamos concluir o nosso ingresso de forma ágil e eficiente, para que possamos oferecer o mais rápido possível aos nossos clientes os serviços e benefícios da melhor aliança de companhias aéreas do mundo. Isso representa, sem dúvida, um dos marcos mais significativos da nossa história de 60 anos e da nossa jornada para transformar a Royal Air Maroc na principal companhia aérea da África”, disse Abdelhamid Addou, CEO da Royal Air Maroc.

A partir de então, os novos membros oferecerão todos os serviços e benefícios ao cliente oneworld, e um milhão de membros do programa de fidelidade Safar Flyerm, da Royal Air Maroc, poderão acumular e resgatar recompensas em todas as companhias aéreas da oneworld e seus passageiros mais frequentes terão acesso a mais de 650 salas VIP instaladas em aeroportos da aliança em todo o mundo.

“Quando lançamos em junho a forma de associação ‘oneworld connect’, dissemos que, no futuro, buscaríamos como grandes membros as companhias aéreas com uma presença significativa no mercado alvo da aliança, proporcionando conexões entre os principais centros de negócios globais. A Royal Air Maroc está se transformando em uma companhia aérea realmente global, e sua base em Casablanca se tornará a porta de entrada para a aviação no continente, ao mesmo tempo em que se consolida como o principal centro financeiro da África”, disse Rob Gurney, CEO da oneworld.