Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Hotelaria

Com reforma completa, Century Paulista mira crescimento de dois dígitos em 2019

Roberto Gracioso, diretor do Century Paulista

Roberto Gracioso, diretor do Century Paulista

SÃO PAULO – Um hotel renovado em uma das melhores localizações de São Paulo. Este é o Century Paulista, que acaba de finalizar uma reforma que durou três anos e teve um investimento aproximado de R$ 10 milhões. Com todos os 180 apartamentos reformados e melhorias no lobby, a meta de Roberto Gracioso, diretor do empreendimento, é aumentar a diária média em 2019 em dois dígitos e chegar a uma ocupação média de 65%.

“Por conta de tudo que aconteceu nos últimos anos, a reforma acabou demorando mais do que imaginávamos. Mas agora temos um produto com um valor percebido muito maior, o que permite trabalharmos por uma diária média maior”, contou Gracioso. O próximo passo agora é a reforma do restaurante e melhorias no deck da piscina. “Além disso, abrimos o restaurante para passantes e passamos a ter bufê todos os dias”, complementou.

Na reforma, os apartamentos ganharam piso frio, novas camas e novos enxovais. No caso do Lobby, além de um painel com pontos turísticos da cidade de São Paulo e uma remodelada no balcão do bar, a iluminação foi ampliada e os sofás renovados.

Um dos quartos reformados do Century Paulista

Um dos quartos reformados do Century Paulista

REVENUE MANAGEMENT

A partir de agora, a meta de Roberto Gracioso é aumentar a diária média. A meta estipulada é de pelo menos 10% para 2019. No entanto, a ideia do executivo é que isso aconteça sem aumentar os preços para o hóspede. E como fazer isso? A resposta não é tão simples. Envolve um trabalho minucioso de Revenue Management (controle de receitas) e ampliação de ocupação nos períodos em que as diárias são mais caras.

“Até o ano passado, o maior desafio da hotelaria de São Paulo era aumentar os índices de ocupação. E isso aconteceu. Agora, temos que rentabilizar isso e o caminho para isso é o Revenue Management e a gestão da distribuição”, explicou Gracioso.

Ele contou que hotel faz um trabalho de pesquisa e inteligência com dois objetivos: estar sempre rentável e apresentar vantagens em relação aos concorrentes mais próximos. “Com isso sempre tenho tarifas competitivas e agora com um produto totalmente reformado”, destacou.

PÚBLICO

O alvo número um do Century Paulista é o mercado corporativo, por isso está presente nos principais brockers e operadoras do segmento, além de estar numa ótima localização (R. Teixeira da Silva, 647 – Paraíso, São Paulo).

No entanto, tanto ocupação como diária média têm sido impactados pelo aumento do público de lazer na cidade. “São Paulo se consolidou como um pólo gastronômico, de compras e de grandes eventos. Muita gente de todo o Brasil vem para a lazer”, reiterou.

O interior paulista é o maior mercado do hotel, seguido de Rio de Janeiro, Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Curitiba.