Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Agências e Operadoras / Curiosidades / Destinos / Turismo em Dados

Como marcar e realizar um teste de Covid-19 nos EUA para voltar ao Brasil?

IMG-9420

Farmácias como CVS e Walgreens, que realizam testes de Covid-19 de graça, pelo menos em Orlando, geralmente só estão aceitando pessoas que cheguem de carro através do sistema drive-thru (Pedro Menezes/M&E)

ORLANDO – Os Estados Unidos reabriram suas fronteiras para turistas brasileiros no último dia 8 de novembro. Para matar as saudades das compras e dos atrativos norte-americanos, os brasileiros precisam apresentar ainda no embarque o documento que comprove a vacinação completa, bem como um teste realizado em até três dias antes do embarque. Mas, e na volta? Como proceder para não ter problemas no retorno ao Brasil?

O M&E viajou para Orlando, na Flórida, no último dia 17 de novembro, para participar da presstrip da Universal, cerca de uma semana apenas após a reabertura oficial do país. Para voltar, no dia 21 de dezembro, tivemos que apresentar um novo teste de Covid-19 (antígeno feito nas últimas 24h antes do voo ou RT-PCR em até 72 horas antes do voo), bem como o formulário da Anvisa preenchido e pronto para ser mostrado no check-in da companhia.

Testes de graça: uma missão que compensa?

Até aí, tudo bem, regras que nós profissionais do turismo já conhecíamos ou deveríamos conhecer. Mas na prática, a situação é um pouquinho diferente. Com o dólar quase a R$ 6, o brasileiro vai fazer de tudo para conseguir um teste de graça na terra do Tio Sam. Errado não está, já que existem diversas oportunidades para isso, mas aviso logo de cara que é preciso ter certa paciência, seja no site do Walgreens ou no site da CVS (só abre nos EUA).

543786

Farmácias do Walgreens perto do hotel que eu fiquei que faziam teste RT-PCR de graça (Reprodução/Walgreens)

Os testes RT-PCR do Walgreens e CVS podem sim ser feitos de graça nos Estados Unidos, na unidade mais próxima do seu hotel (em caso de disponibilidade), mas há algumas regras, digamos, essenciais para serem cumpridas. A primeira é que, ao procurar datas disponíveis para a realização do teste, é difícil encontrar uma unidade que faz o antígeno, aquele que fica pronto em 15 minutos ou em até 24 horas. A grande maioria das farmácias próximas só tinha mesmo o teste RT-PCR disponível para ser realizado (de graça!) e em horários bastante limitados.

A partir deste momento que começam as complicações. Os sites tanto do Walgreens, como da CVS, só podem ser acessados em inglês ou espanhol, o que pode ser um problema para boa parte dos turistas brasileiros. O formulário para marcar um teste não é dos mais fáceis, com uma série de perguntas sobre seus dados pessoais, dados de hospedagem, situação atual de saúde e outros detalhes que acabam tirando a paciência dos mais desesperados.

IMG-9421

Drive-thru do Walgreens (Pedro Menezes/M&E)

DICA: Embora Walgreens e CVS aceitem testes grátis de turistas, apenas apresentando o passaporte, o site de ambos exige carteira de identidade norte-americana ou carteira de habilitação emitida nos EUA para fazer o cadastro e poder marcar o dia e horário do seu exame. A dica é colocar nestes espaços “000000000000000000” para poder avançar para a próxima página. Esta é a única parte do formulário que é necessário “mentir” para que seu teste consiga ser marcado.

DICA: Fui com dois amigos jornalistas no mesmo Walgreens, com horários diferentes marcados. Uma pessoa estava com o horário de 13h. A outra marcou 14h15. E eu estava marcado para 15h30. Como estávamos no mesmo carro, com horários marcados para o mesmo dia, a farmacêutica acabou aceitando que fizéssemos os exames ao mesmo tempo, sem ter que esperar o agendamento de cada um. Na fila, só tinha um carro que também estava esperando para realizar o teste.

Teste de graça? Em farmácias, só no drive-thru e feito por você mesmo!

Pensou que iria marcar o teste e pronto, não é mesmo? Ledo engano. Farmácias como CVS e Walgreens, que realizam testes de Covid-19 de graça, pelo menos em Orlando, geralmente só estão aceitando pessoas que cheguem de carro através do sistema drive-thru. Ou seja, se você é turista, precisa alugar um carro ou negociar com o motorista do seu transporte por aplicativo ou táxi para te levar até a farmácia e esperar você fazer o teste.

887766

Se você é turista, precisa alugar um carro ou negociar com o motorista do seu transporte por aplicativo ou táxi para te levar até a farmácia e esperar você fazer o teste (Reprodução/Walgreens)

Aí é que são elas! Nem todos os motoristas vão aceitar esta proposta. E aqueles que aceitarem, além do preço da própria corrida, pode exigir uma generosa gorjeta para ter que esperar no carro com você. Isto porque, além de você ter que esperar a papelada toda ficar pronta (cerca de 15 minutos), você ainda precisa fazer o teste dentro do carro, seguindo as orientações da pessoa da farmácia que estiver te dando o teste.

Sim, você mesmo fará o teste em você! A pessoa irá te dar essa caixa vermelha (como na foto) com um papel, um swab (cotonete para exames) e um vidro com suas informações. Você terá que abrir o lacre do swab, passar o cotonete nas duas narinas, sob orientação da farmacêutica (geralmente são cinco voltas em cada narina) e depois colocar esse cotonete dentro do frasco, quebrar a parte que fica sobrando e colocar o frasco dentro do saco, que, por sua vez, está também na caixa vermelha.

76443

Governo do Condado de Orange da Flórida faz teste grátis (Reprodução/Governo de Orange County)

DICA: para quem vai para Orlando, uma dica que podemos dar é realizar um teste em cinco locais determinados pelo próprio Governo do Condado de Orange da Flórida. Acabamos não indo porque o preço do Uber estava caro, logo não sabemos se lá é necessário também ir de carro. O site para ver mais informações é ESTE. O legal é que lá não precisa de agendamento. É só chegar e fazer, embora um pré-cadastro precise ser realizado antes.

O exame demora até 72 horas para ficar pronto

Eis a grande questão! Os exames de graça, no Walgreens, por exemplo, onde realizei o meu, demoram até 72 horas (três dias) para ficar pronto. O tempo varia, pode ser que saia antes, mas se você fizer o exame na sexta-feira, como eu, por exemplo, pode ter que esperar até a próxima segunda-feira, no limite das 72 horas. Por outro lado, o passageiro é obrigado a embarcar com um exame RT-PCR negativo feito em até 72 horas antes.

Isto faz com que o espaço de tempo entre o resultado do exame ficar pronto e a validade do teste para o horário exato do voo fique bastante apertado. Por isso, na minha opinião, se quiser arriscar e realizar um teste de graça para economizar um dinheiro digamos significativo, tenha sempre um Plano B em mente.

Plano B: exames pagos, mas tranquilidade garantida!

Qual é o Plano B caso meu teste realizado no Walgreens, CVS ou qualquer outro estabelecimento que faça testes gratuitos não fique pronto a tempo de embarcar de volta ao Brasil? Realizar um exame pago, seja nas diversas clínicas da cidade ou até mesmo no aeroporto (se informe antes se há um laboratório no seu aeroporto).

764438

Exame no aeroporto pode ser realizado em último caso (Reprodução/AdventHealth Centra Care)

No Aeroporto de Orlando, por exemplo, há uma clínica que faz exames de antígeno que ficam prontos em menos de uma hora. O agendamento é simples para turistas e você só paga na hora de realizar o exame. O link para marcar um agendamento é https://centracare.adventhealth.com/urgent-care/covid-19-testing-orlando-international-airport. O teste por lá custa cerca de US$ 150, um dos locais mais caros para exame de antígeno.

Um dia antes da minha viagem, entrei no site do laboratório do Walgreens (eles te dão o site e o seu acesso após a realização do exame), quase 40 horas depois de realizar meu exame, e ele não tinha ido nem para o laboratório ainda. Eu já sabia que aquele teste de Covid-19 não ficaria pronto a tempo. Sendo assim, parti para o Plano B mais próximo do meu hotel, neste caso, o Dockside Inn and Suites do Universal Orlando Resort, na Universal Boulevard.

IMG-9549

Na clínica Fast Test Now, em Orlando, é rápido marcar um horário para fazer o exame (Pedro Menezes)

O local mais perto do meu hotel era uma clínica chamada Fast Test Now, que fica no segundo andar de um daqueles clássicos estabelecimentos comerciais de Orlando, com lojas lotadas de souvernirs para turistas e restaurantes internacionais. A distância era de 850m, cerca de 15 minutos andando. Na chegada, a clínica estava vazia (marquei meu teste para às 21h20 – eles aceitam testes até 21h55, uma oportunidade para aproveitar a cidade e os parques antes de se preocupar).

809776

Recebi meu teste por e-mail cerca de 15 minutos depois (Reprodução/FastTestNow)

Antes, no entanto, tive que entrar no site, marcar meu horário certinho e pagar de maneira antecipada. Como fiz o teste de antígeno, porque estava a menos de 24 horas do meu voo de volta para o Brasil, o custo foi menor, mas mesmo assim caro, principalmente para os brasileiros com o dólar a R$ 6. Na Fast Test Now, até o dia que eu fui, o teste de antígeno custava exatos US$ 89, cerca de R$ 547 já com IOF do cartão de crédito incluído.

Bom, meu teste estava marcado para às 21h20, como dito acima, cheguei lá cinco minutos antes, uma pessoa me atendeu e logo realizou meu exame. Não pode esperar o exame ficar pronto lá dentro do estabelecimento. O resultado chegará no e-mail de sua preferência, que é colocado no momento do agendamento ou informado na recepção da clínica. No entanto, caso você queira um exame impresso, pode esperar fora do estabelecimento por cerca de 15 minutos para sair com o resultado.

5543

Teste do Walgreens até que chegou, na segunda-feira (22), quando eu já estava no Brasil (Reprodução/PWN Health)

Apesar de caro, o exame pago nos Estados Unidos é preparado para receber turistas e traz uma tranquilidade para aqueles que ficam ansiosos para voltar ao Brasil com tudo certinho. Muito simples, rápido e fácil. A dica é fazer sempre o teste antígeno, um dia antes do embarque, porque pagará mais barato do que o exame RT-PCR. Ahhh, e sabe aquele teste do Walgreens? Recebi ele na segunda-feira (22), quando já estava em casa, no Brasil.

Receba nossas newsletters