Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Agências e Operadoras / Feiras e Eventos

Em recuperação, Flytour já atinge 50% do movimento de 2019

Marcelo Cohen e Elói Oliveira da BeFly

Marcelo Cohen e Elói Oliveira da BeFly (Eric Ribeiro/M&E)

GRAMADO – Aos poucos as coisas vão entrando nos trilhos para a Flytour. A empresa foi adquirida por Marcelo Cohen, da Belvitur, e faz parte agora da holding BeFly. De acordo com ele, em outubro a empresa já atingiu 50% do movimento que tinha em 2019, já a Belvitur chegou a 85%. O objetivo agora, segundo Cohen, é resgatar e Flytour e investir bastante em tecnologia.

Ele revelou alguns planos, que serão colocados em prática em breve, como um campanha permanente de incentivo às agências de viagens, o FlyMember. Como forma de premiação para os parceiros, a BeFly oferecerá uma série de benefícios, como soluções de tecnologia, consultorias e capacitações. A ideia é que as agências escolhidas possam crescer junto com a Flytour. “Queremos ter um grupo com 200 ou 300 agências e dar apoio e fôlego a elas”, destacou Eloi Oliveira, que assume agora um lugar no conselho da BeFly.

Elói revelou alguns planos, que serão colocados em prática em breve, como um campanha permanente de incentivo às agências de viagens, o FlyMember

O papel de Oliveira, segundo ele próprio, será de apoio ao Marcelo Cohen e, especialmente, na interlocução com o mercado. “Estamos visitando fornecedores e clientes para estarmos mais próximos. Esta é a minha área e na qual eu mais me realizo”, contou Oliveira. “Vamos recuperar a antiga Flytour. Já contratamos Reifer Souza para cuidar de produto e faremos algumas contratações pontuais”, complementou Cohen. Eloi lembrou que todo o quadro de diretores, que havia se desfeito no auge da pandemia, já foi todo reposto.

Marcelo Cohen mostra a nova marca da holding: BeFly

Marcelo Cohen mostra a nova marca da holding: BeFly (Eric Ribeiro/M&E)

Operadora

Uma das grandes perguntas do mercado é como fica a operadora do grupo. Os dois executivos explicaram que ela será redesenhada para voltar ao mercado e que não será a mesma. Cohen destacou que eles estão analisando o mercado e as oportunidades porque a ideia é que ela seja voltada a algum nicho. “Já sabemos que ela não será como antes, com os produtos triviais”, adiantou. Oliveira, por sua vez, revelou que a grande parte das remarcações já foi resolvida. “Dos R$ 35 milhões que havia quando eu assumi, restam apenas R$ 7 milhões”, contou.

Resultados

O indicador de 50% do movimento já recuperado em outubro não é a única boa notícia da Flytour. Oliveira enumerou outros dados que mostram uma recuperação robusta – sobretudo da consolidadora. Segundo ele, em julho o faturamento já dobrou em relação ao mês anterior. A consolidadora já é a terceira maior em produção na Latam, por exemplo.

Tecnologia

A Flytour não foi a única empresa adquirida pela Belvitur. Cohen contou que empresas de tecnologia passaram a fazer parte da BeFly – todas elas startups. Uma delas é a Mobicity, focada em mobilidade corporativa, um Online Booking Tool e uma Travel Tech voltada às empresas. A ideia, de acordo com Cohen e Oliveira, é gerar valor e preparar as empresas do grupo para as mudanças do setor.

Receba nossas newsletters
 

Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização do Mercado & Eventos.

Para compartilhar esse conteúdo, utilize uma das formas de compartilhamento dentro da página.