Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Aviação / Turismo em Dados

Turismo deve crescer 13% e faturar cerca de R$ 200 bilhões em 2023, diz FecomercioSP

shutterstock 316241720 Turismo deve crescer 13% e faturar cerca de R$ 200 bilhões em 2023, diz FecomercioSP

De acordo com a projeção da Entidade, em valores absolutos, serão R$ 22 bilhões a mais de faturamento na comparação anual (Shutterstock)

O Turismo deve encerrar 2023 com alta de 13%, alcançando um faturamento de cerca de R$ 200 bilhões. A estimativa é do Conselho de Turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). De acordo com a projeção da Entidade, em valores absolutos, serão R$ 22 bilhões a mais na comparação anual.

A projeção inclui os resultados de julho deste ano, mês em que o setor faturou R$ 16,1 bilhões — alta de 3,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, e um adicional de R$ 508 milhões. No acumulado do ano, a variação é de 12,4%, chegando a R$ 106 bilhões.

Já os dados de julho apontaram que a maioria dos Estados performa positivamente. O destaque ficou por conta da Bahia, com crescimento de 13,1% na comparação com o mesmo período do ano passado. Em seguida, vieram Minas Gerais (12,9%) e Acre (8,6%). No sentido oposto, os Estados do Amapá, com queda de 12,4%, e do Ceará, com redução de 10%.

Para obter a estimativa de 2023, a FecomercioSP realizou um tratamento estatístico de atualização da série histórica do faturamento do turismo nacional — com base na divulgação da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) —, por meio dos dados das atividades do turismo em 2021. Da mesma forma que atualizou a série nacional, a Federação também passou a incluir o faturamento do turismo por Unidade Federativa (UF).

Inflação mais baixa impulsiona turismo

Aeroporto de Brasilia Credito Eric Ribeiro 17 Turismo deve crescer 13% e faturar cerca de R$ 200 bilhões em 2023, diz FecomercioSP

Os preços médios dos principais serviços de turismo no País caíram 2,43% em agosto (Eric Ribeiro/M&E)

A combinação de dois fatores explica o momento favorável do Turismo brasileiro. O primeiro é a melhora nas condições econômicas das famílias, e segundo, o maior investimento das empresas em viagens e eventos. Ambos estão sendo beneficiados pela inflação mais modesta nas atividades do setor. Os preços médios dos principais serviços de turismo no País caíram 2,43% em agosto (embora acumulem alta de 7,29% nos últimos 12 meses), de acordo com a entidade.

“Pode ainda parecer elevado, mas quando observamos a variação de agosto de 2022, de 31,27%, percebemos que o atual patamar está mais moderado. O que tem ajudado é a redução nos preços das passagens aéreas, como ocorreu em agosto (queda mensal de 11,49%)”, explica o coordenador do Conselho de Turismo da FecomercioSP, Guilherme Dietze.

Além disso, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre acima das expectativas trouxe mais otimismo para o setor, pois há uma correlação direta, seja pelo aumento do consumo das famílias, seja pelo crescimento das atividades econômicas.

No mês de julho, das oitos atividades analisadas, apenas o transporte rodoviário de passageiros apresentou resultado negativo, com queda anual de 12,2%. As maiores altas foram observadas em serviços de locação de meios de transportes (20,2%), alojamento (10,4%) e alimentação (6,4%), além de transporte aéreo (4,5%). As demais elevações foram registradas em atividades culturais, esportivas e recreativas (2%), agências de viagens, operadoras e outros serviços de turismo (0,3%) e outros tipos de transporte aquaviário (2,3%).

Receba nossas newsletters