Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Destinos / Política

Ministro celebra conquistas de 2021 e avisa: “Em 2022, Turismo vai valer por dois”

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

Com 85% do malha aérea doméstica pré-pandemia alcançada em dezembro e uma ocupação hoteleira de mais de 80% no Réveillon para fechar o ano de 2021, o Ministério do Turismo fez um balanço das ações realizadas e das conquistas alcançadas, bem como já começou a projetar o ano de 2022.

“O nosso governo foi o que mais trabalhou para proteger seu povo em toda a América Latina”, destacou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, os lembrar das quase 145 milhões de pessoas que já receberam duas doses da vacina no Brasil. “Em 2022, o turismo no Brasil vai valer por dois”, frisou.

Em 2020 e 2021, a pandemia fez o turismo acumular perdas de R$ 453 bilhões. “Nossa missão foi seguir amparando o trade com medidas para tirar o peso do Estado das costas do setor, concluir obras que estão estruturando o turismo por todo o país e anunciar medidas para atrair, cada vez mais, investidores e visitantes ao Brasil”, resumiu o ministro.

Um dos grandes destaques de 2021 foi a validação do Brasil como sede do primeiro escritório regional da Organização Mundial do Turismo (OMT) para as Américas. “Tive a honra de defender o nosso país, destacar o nosso potencial no turismo de natureza e mostrar que somos, sem dúvida, o local mais indicado para receber o escritório, que deve ser em Brasília”, afirmou o ministro.

INTERNACIONAL – Outra decisão importante foi anunciada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, durante agenda na ExpoDubai: a instalação de um escritório da Embratur em Dubai para divulgar o Brasil para o Oriente Médio. Outro avanço em 2021 foram as tratativas para que empresas aéreas internacionais operem no Brasil, inclusive para voos domésticos.

SETOR AÉREO – Em 2021, o Ministério do Turismo trabalhou para diminuir a burocracia e o peso das costas dos empresários. “São eles que geram empregos e fazem a cadeia do setor funcionar, gerando, com isso, emprego e desenvolvimento para quem atua na ponta”, explicou Machado Neto. Durante 2021, várias ações foram tomadas, como a articulação para a autorização do uso no Brasil do combustível de aviação JET-A, uma demanda de décadas do segmento aéreo.

O setor aéreo também teve outra grande notícia no último dia do ano, com a publicação de Medida Provisória que reduz as alíquotas sobre o IRRF de leasing de aeronaves e motores a partir de 1º de janeiro de 2022. A taxa foi reduzida de 15% a zero nos próximos dois anos. A partir de 2024 as alíquotas terão um acréscimo gradual de 1% ao ano. Ou seja, será de 1% em 2024, 2% em 2025 e de 3% em 2026.

TURISMO NÁUTICO – O MTur articulou para assegurar a isenção de tributos federais de importação de veleiros novos e usados e, também, para a importação de jet-skis. “Com esse aumento, teremos mais embarcações, maior número de marinas, melhoria da infraestrutura e, consequentemente, mais empregos”, lembrou o ministro. Outra medida que impactou diretamente nas atividades turísticas foi a instalação de 15 antenas de Wi-Fi em Fernando de Noronha (PE).

OBRAS – Sobre as obras de infraestrutura turística, o Ministério do Turismo investiu R$ 805,9 milhões, com a entrega de 734 obras. Em 2021, também foram iniciadas outras 355 obras de infraestrutura turística com recursos do Ministério do Turismo em todo o país, fruto de um investimento de R$ 186 milhões. O MTur administra, atualmente, uma carteira de cerca de 3.100 trabalhos do tipo no Brasil.

Receba nossas newsletters
 

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link https://www.mercadoeeventos.com.br ou utilizando uma das formas de compartilhamento dentro da página. Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização.