Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.
De acordo com a legislação atual, informamos que a nossa empresa NÃO utiliza cookies para melhorar experiências a quem nos acessa. Por favor leia nossa Política de privacidade e saiba mais sobre a transparência e Governança Corporativa da nossa organização.
OK

Feiras e Eventos

CVC prevê queda de 15% no preço dos cruzeiros e quer chegar a 2.700 charteres

A CVC fecha a temporada de verão deste ano com 2.252 charteres e planeja um incremento de 20% já para o próximo verão. Os planos de expansão do grupo foram divulgados hoje por Valter Patriani; presidente da Operadora CVC; depois de confirmar que os preços dos cruzeiros este ano devem cair entre 15% a 20%.

“Estamos bastante otimistas com o mercado doméstico e apenas para Porto Seguro tivemos uma média de nove fretamentos diários. Também estamos ampliando o leque de opções e já fechamos com a Passaredo fretamentos a partir de São José do Rio Preto e de outras cidades do interior paulista para o Nordeste”; adiantou.

O dirigente confirmou que a CVC iniciou desde a semana passada a venda de pacotes para a Copa do Mundo na África apostando no movimento de última hora. Já para a Copa de 2014; no Brasil a operadora já tem contratos fechados com 12 operadoras internacionais em países como Argentina e França.

“Eles irão comercializar pacotes para os torcedores daqueles países interessados erm virem ao Brasil para a Copa. Também vamos lançar pacotes para os brasileiros que desejarem acompanhar os jogos em outros estados que não sejam o seu de origem”.

Ao comentar o processo de internacionalização da CVC; já adiantado pelo Mercado & Eventos; com exclusividade; Patriani confirmou que serão criadas operadoras em cada um dos países da América Latina até 2020. “Vamos ter a CVC Colômbia para vender produtos locais e pacotes para o Brasil; e nossa idéia é estar presentes em todos os países; utilizando a experência interncional do Carlyle Group”

Ao comentar sobre os preços dos pacotes; em função da alta nas passagens aéreas; o presidente da CVC garantiu que o reajuste não passa de 5%. “E no caso dos cruzeiros marítimos estamos apostando numa queda entre 15% e 20%”; confirmou.

Patrinani confirmou que no internacional a CVC mantem produtos como Florida; Bariloche e também ofertas para China; Egito; Jordania; Israel; entre outros. “Vamos estar investindo forte em mercados como o Canadá”; adiantou.

Receba nossas newsletters