Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Aviação / Turismo em Dados

Gol devolve 17 aeronaves desde o início da pandemia

Primeiro B737 MAX 8 da Gol recebido em 2021

A Gol espera encerrar o ano com aproximadamente 15% da frota de NGs substituída pelo MAX

A Gol vai implementar uma redução ainda maior de oferta durante o mês de março, em relação ao mês de fevereiro, que já foi de queda, com apenas 250 voos operados por dia. Isto significa que a companhia vai operar apenas cerca de 40% do que foi realizado no mês de março de 2020, começo da pandemia.

Essa redução na programação de voos domésticos, segundo a Gol, reflete a menor demanda por viagens no Brasil, como consequência dessa nova fase de Covid-19, clientes aguardando vacinação e o início da baixa temporada. Neste mês, a companhia está adaptando sua frota e operará 65 aeronaves em sua malha para controlar a capacidade e os custos no período de menor demanda.

Do início da crise até o fim deste mês, a companhia terá diminuído sua frota 17 aeronaves Boeing 737 arrendadas, assim como reduzido em 34 jatos os recebimentos do MAX previstos para 2020-2022. A companhia encerrou fevereiro com um total de 128 B737s, sendo oito MAX. Com 74 aeronaves na malha, as operações aéreas diárias reduziram 28%.

Todos os oito B737 MAXs estão operando em rotas domésticas de etapa média mais longa, enquanto se aguarda uma recuperação do mercado internacional. A Gol espera encerrar o ano com aproximadamente 15% da frota de NGs substituída pelo MAX, o que irá acelerar a retomada do CASK aos patamares comparáveis ao período pré-pandemia.

“Mantivemos nossa alta taxa de ocupação média por meio da diminuição da frota operacional e da planejada reestruturação da malha para fevereiro, março e abril. A Gol está preparada para reagir de forma rápida na adaptação de sua oferta de assentos, com flexibilidade para enfrentar oscilações de demanda nos próximos meses”, disse Paulo Kakinoff, presidente da Gol.

Receba nossas newsletters