Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Curiosidades / Parques e Atrações

Beto Carrero World revela primeira ninhada de tigre branco nascido no Brasil

Após o nascimento, os três filhotinhos precisaram ficar em quarentena com a mãe (Amal)

Após o nascimento, os três filhotinhos precisaram ficar em quarentena com a mãe (Amal)

Acabou o período de quarentena da primeira ninhada de tigres brancos a nascer em zoológico brasileiro. Radesh, Indra e Indira deixaram de ser recém-nascidos e já podem ser exibidos ao público. No Brasil, atualmente apenas o zoo do Beto Carrero World, a Fundação Parque Zoológico de São Paulo e Fundação Jardim Zoológico de Brasília contam com tigres brancos. Em Penha (SC), além dos filhotinhos e Amal, vivem Ravi, o tigre macho pai da ninhada e Rahny, irmã de Amal.

“Esta é a primeira vez que tigres brancos nascem em cativeiro no país e a mãe é uma fêmea primípara (primeira cria), o que lhe dá o instinto de abandonar os filhotes, situação que felizmente não aconteceu. Eles estão com ela desde o nascimento”, comemora a coordenadora do Zoológico Beto Carrero World, Kátia Cassaro.

Tigres brancos, também reconhecidos como tigre real de bengala, são animais extremamente raros de serem encontrados. A espécie apresenta uma característica genética chamada leucismo, que possuem pelagem branca, porém não são albinos. Além disso, todos apresentam uma pequena pigmentação de faixas escuras. “É muito importante que zoológicos desempenhem o papel voltado para a reprodução, pois esta é, talvez, a única maneira de garantirmos a conservação das espécies no futuro”, reforça a coordenadora do Zoo Beto Carrero World.

A história de Ravi, Amal e Rahny no Zoo Beto Carrero World iniciou há mais de dois anos após a realização de um processo detalhado de pesquisas. “Na data não nos interessava trazer animais irmãos, pois tínhamos interesse em reprodução”, explica o veterinário José Daniel Fedullo. O tigre Ravi chegou em 2016 da Alemanha e no ano seguinte ganhou a companhia das irmãs argentinas Amal e Rahny. O processo de adaptação do trio durou mais de três meses até que eles conseguissem conviver em harmonia em grupo.