Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Aviação

ITA está proibida de retomar venda de passagens aéreas

ITA ITAPEMIRIM Eric Ribeiro 6

A decisão, segundo a agência, vai vigorar enquanto a empresa não demonstrar o cumprimento de ações corretivas como reacomodação de passageiros

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) proibiu que a Itapemirim Transportes Aéreos retome a comercialização de passagens aéreas. A decisão, segundo a agência, vai vigorar enquanto a empresa não demonstrar o cumprimento de ações corretivas como reacomodação de passageiros, reembolso integral da passagem aérea aos consumidores que optaram por esta alternativa e resposta aos passageiros sobre todas as reclamações registradas na plataforma Consumidor.gov.br.

A nova decisão soma-se à suspensão do Certificado de Operador Aéreo (COA) e à imediata suspensão da venda de passagens, adotadas em 17 de dezembro, data em que a ITA anunciou a interrupção de suas operações. A nova medida só será revogada após comprovação do cumprimento integral de todas as obrigações estabelecidas na Resolução Anac nº 400. A ideia da ITA é retomar as operações no dia 17 de fevereiro.

“Em relação à reacomodação de passageiros lesados pela interrupção abrupta das operações da Itapemirim, a empresa deverá comprovar o oferecimento de alternativas de reacomodação em voo de outras companhias, de execução do serviço por outra modalidade de transporte ou de reembolso integral, para a escolha do consumidor. A companhia deverá ainda demonstrar a realização de quaisquer outros reembolsos devidos ao consumidor em decorrência de descumprimento contratual verificado desde o início da comercialização das passagens aéreas”, informou a Anac.

Ainda segundo a agência, a Itapemirim deverá comprovar a resposta ao consumidor, observado o prazo de 10 dias contados da data de registro de cada reclamação. A empresa aérea deverá utilizar ainda os meios de comunicação disponíveis e os dados de contato informados pelos consumidores para responder às reclamações que não se encontravam respondidas no prazo de 10 dias na referida plataforma (Consumidor.gov.br)

Receba nossas newsletters
 

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link https://www.mercadoeeventos.com.br ou utilizando uma das formas de compartilhamento dentro da página. Todo o conteúdo produzido pelo Mercado & Eventos é protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo sem autorização.