Crie um atalho do M&E no seu aparelho!
Toque e selecione Adicionar à tela de início.

Hotelaria / Turismo em Dados

Ocupação de hotéis alcança 2/3 dos níveis pré-pandêmicos em abril

Custo é inferior a R$ 3 por apartamento

A ocupação mundial de hotéis atingiu 46% em abril de 2021, ante o ponto mais baixo de apenas 13% em abril de 2020

A ocupação global de hotéis alcançou 2/3 dos níveis pré-pandêmicos em abril de 2021, indica o novo estudo “Rebuilding Hospitality: Trends in Demand, Data and Technology That are Driving Recovery”, que combina insights de hoteleiros com dados de inteligência de negócios da Amadeus para mostrar tendências da retomada do setor. Dados mostram que a ocupação global dos hotéis subiu de 31% em janeiro de 2021 para 46% em abril.

A ocupação mundial de hotéis atingiu 46% em abril de 2021, ante o ponto mais baixo de apenas 13% em abril de 2020, o que mostra que a ocupação global subiu dois terços do caminho de volta aos números pré-pandêmicos de cerca de 70% para este período de ano. Os dados também mostram que o tempo de antecedência das reservas está aumentando, indicando uma confiança crescente do consumidor para planejar suas viagens.

Os dados também mostram que o tempo de antecedência das reservas está aumentando, indicando uma confiança crescente do consumidor para planejar suas viagens

Segundo a Amadeus, “durante grande parte do ano passado, quase todas as reservas em todo o mundo foram feitas nos 7 dias que antecederam as viagens. As reservas feitas no mesmo dia da viagem, que são as mais problemáticas para o setor, diminuíram globalmente de 39% na primeira semana de 2021 para 23% na semana de 25 de abril, e reservas de com 31 a 60 dias de antecedência aumentaram de 6% na primeira semana do ano para 11% na semana de 25 de abril”.

A maioria (63%) acredita que as viagens a lazer impulsionarão a retomada, sendo o lazer doméstico o maior contribuinte (45%). Para isso, mais da metade (59%) prevê a contratação de novos funcionários em 2021

A pesquisa entrevistou 688 hoteleiros globais, com novos insights sobre o sentimento e seus atuais planos. Segundo eles, há uma sensação de otimismo, pois 30% preveem a abertura de um ou vários locais em 2021. A maioria (63%) acredita que as viagens a lazer impulsionarão a retomada, sendo o lazer doméstico o maior contribuinte (45%). Para isso, mais da metade (59%) prevê a contratação de novos funcionários em 2021.

Passaporte de vacina e medidas que vieram para ficar

Evento reunirá médicos e cientistas especializados no assunto

Um terço (32%) dos hoteleiros pensam que sempre precisarão de distanciamento social significativo, higienização e medidas de higiene visíveis

Hoteleiros divergem na opinião sobre passaportes para vacinas: Mais da metade dos hoteleiros asiáticos dizem que estão considerando pedir passaportes de vacinas antes de permitir que os hóspedes permaneçam em suas dependências, enquanto pouco menos da metade dos hoteleiros nas Américas afirmam que não adotarão essa abordagem. Quase metade dos hoteleiros não tem certeza sobre sua estratégia nesta área.

Ao considerar “características pandêmicas” que permanecerão por um longo prazo, o relatório revela:

  • Medidas de higiene vieram para ficar: um terço (32%) dos hoteleiros pensam que sempre precisarão de distanciamento social significativo, higienização e medidas de higiene visíveis.
  • Redução no contato com o hóspede e na limpeza da estadia: 20% dos hoteleiros globais indicam que manterão ao mínimo a interação entre a equipe e os hóspedes no longo prazo, e 21% planejam reduzir o serviço de limpeza diário.
  • Mais de um quarto dos entrevistados (30%) disseram que a tecnologia sem contato, com o intuito de oferecer suporte às experiências personalizadas dos hóspedes, é um dos desenvolvimentos que os deixaram mais entusiasmados para o pós-pandemia. A personalização pode desempenhar um papel importante para garantir que o “toque humano” não seja perdido.
  • Novidades, como oferecer “staycations” de trabalho e investimento em instalações que ajudam os viajantes a prolongar as estadias, ajudaram os hoteleiros a testar novas estratégias. Os hoteleiros relatam que tais modalidades permanecerão como parte do portfólio por um longo prazo.

“Com restrições mais baixas em vigor, o mercado dos EUA forneceu alguns indicadores iniciais do comportamento do viajante que poderiam ajudar outros hoteleiros internacionais a entender em que estágio estão se recuperando. Uma das principais conclusões de nossa pesquisa e relatório é que a tecnologia desempenhará um papel central na recuperação do setor de hotelaria, pois descobrimos que, globalmente, 41% dos hoteleiros planejam gastar o mesmo ou mais em TI este ano do que em 2019″, disse Francisco Rüter, presidente de Hospitality da Amadeus.

Receba nossas newsletters